"Quem me dera ser leal, discreto e silencioso como minha sombra" (Dom Helder Câmara).

quinta-feira, 13 de abril de 2017

Fotógrafo brasileiro premiado com Pulitzer mostra drama de refugiados sírios em exposição em SP

O fotógrafo brasileiro Mauricio Lima, premiado com Pulitzer 2016, apresenta parte do trabalho que realizou em 2015, quando acompanhou por seis meses a longa jornada de migração de refugiados do Oriente Médio rumo a Europa. São 33 imagens que compõem a exposição "Farida, um Conto Sírio", no Museu da Imagem e do Som, em São Paulo, aberta nesta quinta-feira (13).
Enquanto documentava a saga dos refugiados, Lima percebeu que devia humanizar o acontecimento catastrófico e quis se aproximar de uma família e fotografar suas provações árduas até o exílio.
Ele se conectou com a família Majid, que dormia em uma barraca em uma praça de Belgrado, na Sérvia. Durante 29 dias, o fotógrafo compartilhou da vida deles, os perigos e as dificuldades para ir da Sérvia à Suécia. “Com suas imagens, Mauricio Lima dá a nós, espectadores, a oportunidade de compartilhar visual e intimamente os altos e baixos da viagem da família em busca de asilo”, diz a curadora Elisabeth Biondi.

 "Farida, um conto sírio", do fotojornalista brasileiro Maurício Lima. (Foto: NELSON ANTOINE/ESTADÃO CONTEÚDO)
Pulitzer

Os Prêmios Pulitzer, dos mais prestigiosos do jornalismo e da literatura, são entregues desde 1917. No ano passado, Mauríco Lima, de 40 anos, que trabalhou como fotógrafo da Agence France-Presse (AFP), foi premiado juntamente com seus colegas Sergey Ponomarev, Tyler Hicks e Daniel Etter, também do New York Times, pela cobertura da crise dos refugiados da Síria, do Iraque e do Afeganistão, que fogem dos conflitos e da violência em seus países rumo à Europa.

Lima é fotógrafo documental independente. Ao longo de mais de uma década, desenvolve extenso projeto sobre a vida de pessoas afetadas por crises sociais e conflitos armados, com amplos trabalhos realizados em países como Afeganistão, Brasil, Iraque, Líbia, Portugal e Ucrânia.
Atualmente, concentra-se em uma longa documentação sobre a migração dos refugiados do Oriente Médio rumo à Europa. Parte desse trabalho tem sido publicada com frequência pelo The New York Times.
Após os protestos de junho de 2013 no Brasil, Mauricio Lima idealizou o FotoProtestoSP, um coletivo que reuniu cerca de 20 fotógrafos, cujo objetivo era disseminar a importância de manifestações de rua como liberdade de expressão em uma sociedade democrática, através de grandes intervenções fotográficas em muros públicos de São Paulo.
Serviço

"Farida, um Conto Sírio"Onde: MIS – Avenida Europa, 158
Quando: 13 de abril a 28 de maio de 2017
Horário: 12h às 20h terça a sábado; 11h às 19h aos domingos e feriados
Quanto: R$ 6 (inteira)

Do G1
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Pe. Geovane Saraiva

Pe. Geovane Saraiva

POSTAGENS POPULARES

SIGA-ME

Siga por e-mail

Tecnologia do Blogger.
Copyright © F.G. Saraiva | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com