"Quem me dera ser leal, discreto e silencioso como minha sombra" (Dom Helder Câmara).

quinta-feira, 29 de junho de 2017

Sou católico, sou feliz

  Gabriel Vila Verde | Jun 29, 2017
solominviktor
Leia e sinta orgulho da fé que você professa

Ser Católico!

Quanta grandeza nestas palavras…


É olhar para trás e saber que, antes de mim, tantas pessoas fizeram história…

É saber que a mesma Eucaristia que eu comungo em todas as Missas, foi a mesma que alimentou Tomás de Aquino, antes de escrever a Suma Teológica… a mesma que alimentou Antônio de Pádua, antes das suas pregações… a mesma que saciou Felipe Néri, antes de sair em socorro dos pobres.

É entender que, para que eu conhecesse o Evangelho de Cristo, homens destemidos arriscaram suas vidas em viagens pelo mar bravio, deixando tudo para trás, sem saber se iriam chegar ao destino com vida.

É entender que, a água derramada sobre minha cabeça no dia 28/03/1993, foi o mesmo Batismo que Paulo de Tarso recebeu no dia da sua conversão. O mesmo que banhou o Rei Luís da França, a Rainha Isabel de Portugal e o pobre camponês José de Cupertino, fazendo deles grandes santos.

É compreender que, o Sacramento da Ordem conferido a mim por Dom Murilo Krieger em Salvador, foi o mesmo conferido por Santo Ambrósio ao grande Agostinho de Hipona… o mesmo que Padre Pio recebeu na Itália… o mesmo que Francisco de Assis recusou por humildade.

É subir ao altar para celebrar o Santo Sacrifício, e saber que, no passado, Luís de Montfort e Domingos de Gusmão fizeram o mesmo. Vestiram os paramentos sagrados e ofertaram a Deus a Vítima perfeita.

É ler as cartas de Paulo, os textos de Irineu, as catequeses de João Maria Vianney e entender: tudo isso foi para mim. Eles escreveram para a minha edificação.

É se conscientizar de que, o mesmo Rosário que eu rezo, às vezes de modo apressado, foi o mesmo que a Virgem Maria trouxe nas mãos quando apareceu aos pastores de Fátima. O mesmo que Santo Afonso rezava todos os dias.

É olhar para a Pietá de Michelangelo, para a Catedral de Notre Dame, para a gruta de Lourdes e saber: isso aqui me pertence. São tesouros da minha família. É entrar em qualquer capelinha ou basílica do mundo e sentir que estou em casa. Ali tudo me diz respeito.

Tudo isso começou lá atrás, quando Jesus reuniu 12 homens e os enviou a pregar. Eles não imaginavam que tal projeto resultaria no que vemos hoje… bilhões de pessoas professando a mesma Fé.

Em resumo: ser um católico consciente é a maior alegria que o ser humano pode ter.

Padre Gabriel Vila Verde

Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Pe. Geovane Saraiva

Pe. Geovane Saraiva

POSTAGENS POPULARES

SIGA-ME

Siga por e-mail

Tecnologia do Blogger.
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Copyright © F.G. Saraiva | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com