"Quem me dera ser leal, discreto e silencioso como minha sombra" (Dom Helder Câmara).

domingo, 19 de março de 2017

Papa deixa saudação de «grande afeto» aos pais de todo o mundo

Agência Ecclesia 19 de Março de 2017, às 11:14        Foto: Lusa

Foto: Lusa
Francisco evocou exemplo de leigo italiano que recusou jurar fidelidade a Hitler


Cidade do Vaticano, 19 mar 2017 (Ecclesia) – O Papa deixou hoje no Vaticano uma saudação aos pais de todo o mundo, que recordou “com grande afeto”, ao apresentar a figura do mais novo beato da Igreja Católica.

Francisco falava de Josef Mayr-Nusser (1910-1945), “pai de família” e representante da Açao Católica da Itália, martirizado “porque se recusou a aderir ao nazismo, por fidelidade ao Evangelho”.

“Pela sua grande estatura moral e espiritual, ele constitui um modelo para os fiéis leigos, especialmente para os papás, que hoje recordamos com grande afeto, ainda que a festa litúrgica de São José, seu patrono, este ano seja celebrada amanhã [segunda-feira] porque hoje é domingo”, referiu, perante milhares de pessoas reunidas na Praça de São Pedro para a recitação do ângelus.

O Papa pediu um “grande aplauso” para todos os pais.

São José foi desde cedo apresentado pela Igreja Católica como símbolo e exemplo de pai e de trabalhador, estando por isso associado à celebração do ‘Dia do Pai’.

Por coincidir este ano com um domingo, a solenidade litúrgica de São José vai ser celebrada na segunda-feira, 20 de março.

O cardeal Angelo Amato, prefeito da Congregação para as Causas dos Santos, presidiu este sábado, em representação do Papa Francisco, à beatificação de Josef Mayr-Nusser.

“Pai de família, presidente da Ação católica da Arquidiocese de Trento e membro das conferências de São Vicente de Paulo, devido a este seu gesto foi condenado ao campo de concentração em Dachau”, informa o jornal do Vaticano, ‘L’Osservatore Romano’.

O novo beato da Igreja Católica “morreu mártir” antes de chegar a Dachau, a poucos dias da sua execução.

José Mayr-Nusser nasceu em 27 de dezembro de 1910, em Bolzano, norte da Itália; obrigado a recrutar-se no Exército Nazi, recusou o juramento de fidelidade a Hitler.

O recruta, de 34 anos, evocou “motivos religiosos” para esta recusa e foi preso, sob acusação de “alta traição”.

A memória litúrgica do Beato Josef vai ser celebrada, pela primeira vez, a 3 de outubro.

Esta foi a 63ª cerimónia de beatificação do atual pontificado, nas quais foram proclamados mais de 800 beatos, sobretudo mártires, entre eles um português, o irmão Mário Félix, morto durante a Guerra Civil Espanhola.

O Papa Francisco presidiu a duas destas cerimónias: no Vaticano, para beatificar o Papa Paulo VI, e na Coreia do Sul, na beatificação de Paulo Yun Ji-Chung e 123 companheiros mártires.

OC
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Pe. Geovane Saraiva

Pe. Geovane Saraiva

POSTAGENS POPULARES

SIGA-ME

Siga por e-mail

Tecnologia do Blogger.
Copyright © F.G. Saraiva | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com