quarta-feira, 31 de agosto de 2016

Conheça o primeiro sacerdote na história de um país com apenas 300 católicos

Por Alvaro de Juana
Primeiro sacerdote natural de Tajiquistão. Foto: Daniel Ibáñez / ACI Prensa - Instituto do Verbo Encarnado

ROMA, 31 Ago. 16 / 07:00 pm (ACI).- Aos 25 anos, Orzú Saidshoev se tornou o primeiro sacerdote nascido no Tajiquistão, um novo país de maioria muçulmana, onde segundo cifras oficiais há pouco mais de 300 habitantes católicos.

O Padre Orzú foi ordenado sacerdote no último dia 25 de junho na pequena cidade de Montefiascone, na Itália, e nas próximas semanas viajará como missionário à Rússia com a sua congregação, Instituto do Verbo Encarnado, uma das poucas organizações católicas que existem no país.

A República do Tajiquistão é um pequeno país da Ásia Central que tem uma população de 8 milhões de habitantes, dos quais 95% professam o islamismo. Em 1991, tornou-se independente da União Soviética. Seu território fez limite com o Afeganistão, Uzbequistão, Quirguistão e China.


“Sinto um pouco de temor, pois tenho uma responsabilidade muito grande de ser o primeiro (sacerdote nascido no Tajiquistão) e também muita alegria porque é um caminho muito alegre, um caminho de santidade para salvar as almas. É muito importante, como fizeram os missionários da Argentina que estavam no Tajiquistão, evangelizaram a missão e graças a eles eu estou aqui”, disse o presbítero ao Grupo ACI durante uma visita a Roma.

A pequena população católica do Tajiquistão tem “duas paróquias, uma delas na capital Duchambe, também temos três sacerdotes missionários da Argentina, três irmãs de nosso Instituto e quatro irmãs da congregação da Madre Teresa de Calcutá”.

Para o jovem sacerdote, a convivência com os muçulmanos sempre foi “mais ou menos boa porque nós somos muito poucos”.

“Não temos muitos problemas com isso. Eles nos respeitam e nós também os respeitamos”, embora reconheça que apesar desta boa relação, “não posso evangelizar em lugares públicos, nem posso usar a batina”, explicou.

“Peço a graça de perseverar neste caminho que não é fácil, é muito difícil, e também peço a graça de poder salvar muitas almas, para ganhar as almas e levá-las ao céu. Isso é a principal missão do ministério sacerdotal e assim também peço a graça de que no Tajiquistão possa haver muitos cristãos e possam se converter”, assegurou o sacerdote.

Na sua ordenação, esteve presente a sua mãe, que viajou do Tajiquistão para acompanhar o seu filho durante a celebração. “Estou muito feliz, tudo saiu bem. Quando voltar para a casa, compartilharei a minha alegria com meus amigos e minhas irmãs”, indicou.

Santinho da ordenação sacerdotal de Dom Helder Câmara, aos 15 de agosto de 1931.

 Teu povo se alimenta do pão dos anjos (pão do céu)
DOM HELDER: BILHETE À SOBRINHA NAZINHA, EM 1984





DATAFOLHA: LULA FOI O MELHOR PRESIDENTE DO BRASIL DE TODOS OS TEMPOS

Para recordar:

Pesquisa Datafolha realizada na sexta-feira (10) aponta que o povo brasileiro entende que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (Partido dos Trabalhadores) foi o melhor presidente do Brasil de todos os tempos.

Depois vem FHC (PSDB) em segundo com apenas 15%, Getúlio Vargas (PTB) 6%, Juscelino Kubitschek (PSD) 3%, Dilma Rousseff (PT) 2% e José Sarney (PMDB) 2%.

Note-se que a Folha de S. Paulo é conhecida por ser defensora do PSDB paulista.

O Datafolha ouviu 2.834 pessoas com margem de erro de dois pontos.
Captura de Tela 2015-04-11 às 19.20.01

Milagre que levará à canonização de Madre Teresa passou pela fé e amor de uma esposa

Santinho de Madre Teresa de Calcutá. Foto: Daniel Ibáñez / ACI Prensa

REDAÇÃO CENTRAL, 31 Ago. 16 / 01:00 pm (ACI).- O milagre que levou a canonização de Madre Teresa de Calcutá, que acontecerá no próximo domingo no Vaticano, veio do Brasil e, além da força da fé, demonstra também a importância da oração, do amor e da família. A cura inexplicável de Marcílio Haddad Andrino passou pela perseverança de sua esposa Fernanda Nascimento Rocha Andrino.

Marcílio nasceu em Santos (SP) e, quando criança, descobriu um problema renal. Aos 19 anos, fez um transplante de rins, porém, sempre teve uma vida normal.  Formou-se em engenharia mecânica, fez mestrado, doutorado e passou em um concurso público para o Rio de Janeiro. Até que, em 2008, começou a ter convulsões, indo parar no hospital.

Nessa época, Marcílio estava de casamento marcado com Fernanda, que conheceu no ano 2000. Em entrevista concedida ao site da Arquidiocese do Rio de Janeiro (ArqRio), Fernanda recordou que essa “foi uma fase difícil”.

“Demoramos a marcar o casamento e, quando resolvemos nos casar, ele começou a sentir tonturas. Eu me sentia insegura porque ninguém descobria o que ele tinha”, relatou. Mesmo assim, o casal decidiu manter a data do casamento, porque – explicou Fernanda – “embora ele estivesse ficando com a saúde debilitada, ele não deixava de ser o Marcílio, a essência dele não se perdia. Não era uma pessoa estranha, um desvalido porque estava doente”. “O amor não vê nada disso”, sublinhou.

Até mesmo no dia do casamento, Marcílio teve uma convulsão e algumas pessoas disseram para ela não se casar com ele por conta da enfermidade. “Ele estava doente sim – declarou –, mas era o Marcílio que eu amava. E amo até hoje. Tanto que sempre fiquei ao lado dele, firme na oração”.

Após o casamento, as convulsões continuaram e, em 20 de outubro de 2008, teve uma convulsão forte e foi para o hospital. Descobriu-se que estava com abcessos no cérebro. A partir de então, Madre Teresa começou a entrar na vida daquela nova família.

Fernanda contou ao site da ArqRio que a primeira a lhe falar sobre a religiosa foi sua chefe, chamada Adiles, a qual contou ter sofrido um aneurisma e falava da certeza de que Madre Teresa a tinha curado, embora não pudesse provar. Adiles lhe deu um livro com a novena da beata.

“Eu cheguei a fazer a novena nas intenções do Marcilio, mas sem muita certeza. Mesmo internado, era visível que o tratamento médico não estava resolvendo”.

Diante da piora de seu marido, Fernanda procurou Padre Elmiran Ferreira, que lhe dava assistência espiritual. “Nesse mesmo dia – recordou –, ele esteve com as Missionárias da Caridade, em Santos. Ele tirou do bolso a oração com a relíquia de Madre Teresa e disse-me: ‘Fernanda, faça essa oração. Se apegue à Madre Teresa’. Na mesma hora, lembrei-me da Adiles e pensei: ‘preciso ter essa ligação forte com Madre Teresa’”.

Desde aquela ocasião, passou a rezar com afinco, colocava a relíquia na cabeça de Marcílio ou sob o travesseiro.

Na noite de 8 para 9 de dezembro, Marcílio começou a sentir uma dor de cabeça muito forte. “Logo cedo, liguei para os nossos familiares e disse que ele estava muito ruim. Insisti que fizessem mais orações, pedindo a intercessão de Madre Teresa”, contou.

O médico disse para ela que seu marido estava acumulando líquido no cérebro e precisava colocar uma válvula para drenar. Mas, por vários fatores, a cirurgia foi se adiando. Primeiro, a demora do convênio médico para autorização. Em seguida, a anestesista informou que o paciente não estava em condições de ser entubado. Assim, Marcílio foi levado para a UTI.

“Tive que ir embora, porque os familiares não podiam ficar na UTI. Fui até a porta da UTI e disse: ‘Madre Teresa, eu vou, mas fica com o Marcílio, acompanhe-o, faz o que for preciso. Se não for da forma que eu quiser, se o caminho dele for ficar ao seu lado, ajude-nos nessa hora’”, disse Fernanda.

Ela foi para casa, onde intensificou suas orações, pedindo a Madre Teresa que fosse até a UTI, colocasse suas mãos sobre a cabeça de Marcílio e o curasse.

No dia seguinte, recebeu a notícia do médico de que as dores de cabeça tinham passado e que o paciente sairia da UTI. Após exames, Fernanda contou que o médico lhe disse: “Não sei o que aconteceu, a medicina não explica o que houve com o Marcílio; só pode ser alguém lá em cima”.

Mas, a notícia da cura veio seguida por outra. O médico falou a Fernanda que as chances de o casal ter filhos eram mínimas por conta do transplante de rins e também pelos vários medicamentos que Marcílio tomou. Esse diagnóstico foi confirmado após um exame que mostrou que a chance de terem filhos era de menos de 1%.

“O médico sugeriu um tratamento e que aproveitássemos os melhores espermatozoides. Não aceitamos. Se Deus não permitisse que tivéssemos filhos, pensamos na adoção, pois há muitas crianças que precisam de um lar”, assinalou.

Quando Marcílio voltou ao trabalho no Rio de Janeiro, Fernanda se sentiu mal e descobriu que estava grávida de Mariana, que nasceu em 2010. Pouco depois, engravidou do segundo filho, Murilo, que nasceu em 2012.

“Digo que as gestações que eu tive foram uma extensão da graça de Madre Teresa. E até hoje ela nos acompanha. Passamos isso aos nossos filhos, para que eles também agradeçam a Madre Teresa. Quando rezamos, sempre repito nas orações: Madre Teresa de Calcutá, e eles respondem: rogai por nós”, contou à ArqRio.

Após tudo o que passaram, Fernanda declarou que “família é tudo, e que não se dissolve num momento ruim”. Para ela, “é muito fácil ser unido, encontrar beleza quando está tudo bem. Mas é nos momentos difíceis que a gente encontra força no outro”.

“Somos hoje uma família ‘Teresa de Calcutá’, estamos aqui graças à sua intercessão. Ela disse que se um dia se tornasse santa, seria a santa da escuridão. E ela foi até lá, com a luz de Jesus, iluminou e curou o Marcílio. E foi uma cura plena”, completou.

Vaticano cria Ministério de Desenvolvimento Humano

 domtotal.com
Neste novo dicastério, a questão dos migrantes estará sob a autoridade direta do Papa.
(Arquivo) Vista do Vaticano

O Vaticano anunciou nesta quarta-feira a criação de um grande ministério "de desenvolvimento humano integral", encarregado da justiça, do meio ambiente, da saúde e da solidariedade.

Neste novo dicastério, a questão dos migrantes estará sob a autoridade direta do Papa. Este organismo é produto da fusão de quatro serviços encarregados antes destes temas.

"Este dicastério será competente nas questões que se referem às migrações, aos necessitados, aos doentes e excluídos, aos marginalizados e às vítimas dos conflitos armados e das catástrofes naturais, aos detidos, aos desempregados e às vítimas de qualquer forma de escravidão e de tortura", indica um comunicado do Vaticano.

Mas, como "não pode haver hoje um serviço de desenvolvimento humano integral sem atender particularmente ao fenômeno migratório", este tema será confiado a um departamento submetido diretamente à autoridade do Papa.

Este superministério será lançado no dia 1º de janeiro de 2017 e estará dirigido pelo cardeal de Gana Peter Turkson, até agora presidente do Conselho Pontifício para a Justiça e a Paz.

AFP

Agrotóxicos seguem causando câncer e mortes

 domtotal.com
Especialistas apontam os perigos dos agroquímicos e o descompasso das leis brasileiras.
A alta incidência de casos de câncer no século 21, devido aos agrotóxicos, corresponde à cólera.
A alta incidência de casos de câncer no século 21, devido aos agrotóxicos, corresponde à cólera.

Por Cida de Oliveira

Apesar dos números cada vez maiores de casos de câncer em regiões rurais e urbanas próximas a áreas agrícolas com larga utilização de agrotóxicos, inclusive entre crianças, o país que mantém políticas de incentivo aos agroquímicos com isenção de impostos e leis frouxas ainda inova ao permitir a pulverização aérea de venenos. "O Brasil inovou mais uma vez. O governo agora permite que se jogue o veneno em cima das nossas casas. É uma das coisas mais surpreendentes que vi acontecer no Brasil", lamentou o médico patologista Paulo Saldiva, especialista em saúde ambiental e diretor do Instituto de Estudos Avançados da USP, na manhã de hoje (29), durante audiência pública na Faculdade de Saúde Pública da USP.

Realizada pela Defensoria Pública da União em São Paulo, Ministério Público Federal, Defensoria Pública estadual até o final da tarde desta terça-feira (30), a audiência discute os riscos dos agrotóxicos à saúde e ao meio ambiente. Os debates ocorrem em meio ao avanço de projetos de lei no Congresso que revogam a atual lei dos agrotóxicos, permitindo ampliar o uso de venenos. O principal deles é o PL 3200/2015, de autoria do deputado federal Luis Antonio Franciscatto Covatti (PP-RS), ao qual estão apensados diversos outros, como o PL 6.299/2002, de autoria do ministro interino da Agricultura Blairo Maggi, que contêm artigos que revogam a atual lei de agrotóxicose permitem ampliar o uso e consumo dos agroquímicos no território nacional.

"Estudos mostram que malformações congênitas são oito vezes maior entre agricultores quando comparados com outros grupos populacionais. Temos de propor soluções, não podemos ficar esperando por consensos que nunca vão existir devido a disputas. Temos de reunir as evidências, os pontos em comum de tudo o que foi feito e entregar ao Ministério Público já que não temos no país um Parlamento maduro".

Século 19

O tom de Saldiva converge para o dos demais palestrantes. Professora de Química da Universidade Federal de Santa Catarina e pesquisadora, Sonia Corina Hess comparou a situação atual, em que a sociedade não recebe informações suficientes e adequadas sobre os impactos dos agrotóxicos à saúde humana e ambiental devido ao uso de agrotóxicos, a meados do século 19, quando a cólera dizimava populações inteiras nos Estados Unidos.

"Em 1830 ninguém acreditava que a cólera vinha da água contaminada por bactérias do esgoto. Só passaram a acreditar em 1884, quando o patologista alemão Robert Kochdescobriu a bactéria. A alta incidência de casos de câncer em pleno século 21, devido aos agrotóxicos, corresponde à cólera", comparou. "A situação só não é pior porque o câncer afeta também os ricos. Com isso o tema é discutido e pesquisado".

Ela destacou o avanço do câncer em regiões agrícolas, como o noroeste gaúcho, que tem taxa acima da média nacional em mortes pela doença. É a mesma região campeã nacional no uso de agrotóxicos segundo um mapa do Laboratório de Geografia Agrária da USP. O Rio Grande do Sul é o estado com o maior índice de mortalidade devido a doença e o primeiro também em estimativas de novos casos de câncer em 2016 conforme o Instituto Nacional do Câncer (Inca), sendo 588,45 homens e 451,89 mulheres para cada 100 mil pessoas de cada sexo. E mencionou São Paulo, onde vem aumentando o número de malformações.

"Isso acontece porque o Brasil é a maior lixeira do mundo. Tudo o que problema lá fora em termos de veneno trazem para cá porque a gente deixa. Aqui venenos reconhecidamente causadores de câncer são permitidos e nossas leis são frouxas, permitindo altas concentrações de venenos na água, por exemplo", disse Sonia Hess.

A "cereja do bolo", conforme a pesquisadora, é a isenção de impostos à produção e comercialização dos venenos. "Estão isentos de ICMS, PIS, Cofins. A indústria está nadando de braçada".

Rede Brasil Atual - RBA, 29-08-2016.

Voo comercial entre EUA e Cuba marca nova era

  domtotal.com
Os passageiros começaram a embarcar em meio a aplausos, gritos, lágrimas e balões.
Este é o primeiro voo regular entre os dois países desde 1961, quando o tráfego aéreo foi suspenso.
Este é o primeiro voo regular entre os dois países desde 1961, quando o tráfego aéreo foi suspenso.

A companhia aérea americana JetBlue dá início nesta quarta-feira a uma nova era nas relações entre Cuba e Estados Unidos ao enviar o primeiro voo comercial à ilha depois de mais de 50 anos.

O aeroporto de Fort Lauderdale (sudeste da Flórida) estava em festa. Diante da porta de embarque da JetBlue, uma banda de salsa ao vivo cantava clássicos como "Guantamera" e "Me voy pa'Mayari", encorajando os jornalistas e visitantes a dançar.

Com um batismo com um jato d'água e seus 150 assentos vendidos, o voo 387 da JetBlue parte às 09h45 locais (10h45 de Brasília) e chegará a Santa Clara, 280 km a leste de Havana, pouco mais de uma hora depois.

"Às vezes lembramos grandes momentos da história", disse à AFP Mark Gales, chefe executivo do aeroporto, mencionando a queda do muro de Berlim e a chegada do homem à Lua.

Parafraseando a famosa frase de Neil Armstrong, o primeiro ser humano que pisou na Lua, acrescentou: "Este é um pequeno voo para os passageiros, mas um enorme avanço na reconexão da humanidade".

Os passageiros começaram a embarcar em meio a aplausos, gritos, lágrimas e balões coloridos.

Um deles, Domingo Santana, de 53 anos, foi o primeiro a comprar a passagem do primeiro voo comercial a Cuba depois de ter deixado a ilha quando tinha seis anos.

"Estou muito orgulhoso, muito emocionado", disse Santana. "Nunca fui ao meu país, não conheço meu país. É uma grande oportunidade".

"Esta reabertura nos beneficiou", comentou outra passageira, Aleisy Barreda, de 46 anos. "Não apenas em preços, mas também em facilidades para comprar as passagens. Agora só falta ter mais férias!".

O secretário de Transporte americano, Anthony Foxx, viajará a Cuba "coincidindo com este voo inaugural", informou nesta terça-feira o ministério de Transporte da ilha.

Este é o primeiro voo regular entre os dois países desde 1961, quando o tráfego aéreo foi suspenso vítima da Guerra Fria.

Washington e Havana acordaram em fevereiro deste ano restabelecer os voos comerciais, em um ponto de viragem no progressivo restabelecimento dos laços diplomáticos que começou em julho de 2015.

"É um marco histórico nas relações entre os dois países", comentou à AFP Jorge Duany, diretor do Instituto de Investigações Cubanas da Universidade Internacional da Flórida (FIU).

Os voos regulares "permitirão um movimento mais fluído de pessoas, mercadorias, informação e ideias entre dois lugares muito próximos geograficamente, mas muito distantes politicamente", acrescentou.

- Cuba, na moda -

O embargo de Washington ainda proíbe o turismo em Cuba, mas os americanos podem viajar dentro de outras 12 categorias. As mais utilizadas são o intercâmbio cultural ou educacional.

"Há muito interesse em Cuba, é um lugar que está quente agora, ficou na moda", disse Frank González, dono da agência Mambí Tours, que oferece pacotes para americanos com estúdios de música ou candomblé.

Desde que no ano passado foi liberada a possibilidade de viajar a Cuba, as visitas bateram um recorde: 161.000 em 2015, 77% mais que no ano anterior, de acordo com o ministério do Turismo da ilha.

Desde 1979, os voos "charters" supriram a demanda e até esta semana havia apenas trinta voos diários.

Normalmente, a passagem em um charter a Cuba custa entre 400 e 500 dólares, enquanto a JetBlue cobrará 99 dólares a ida e cerca do dobro ida e volta.

O voo inaugural é pilotado pelo capitão Mark Luaces e pelo primeiro oficial Francisco Barreras, ambos americanos de pais cubanos, informou JetBlue.

Será inaugurado com um "saúdo com canhão de água", uma tradição na aeronáutica na qual os aviões são banhados antes de partir pela primeira vez a um destino.

Este voo inicial será seguido na quinta-feira por um da Silver Airways, também a Santa Clara, e depois pelos da American Airlines, a partir de 7 de setembro.

Ao longo dos próximos meses a regularidade dos voos aumentará até chegar a 110 diários, 20 deles a Havana.

As autoridades americanas ainda não decidiram quais companhias servirão à capital. Por enquanto, voarão a nove aeroportos provinciais as companhias JetBlue, American, Silver, Frontier, Southwest e Sun Country.


AFP

Dilma Rousseff sofre impeachment e deixa definitivamente a Presidência da República

domtotal.com
A então presidente afastada Dilma Rousseff foi ao Senado para se defender na segunda-feira (29).
A então presidente afastada Dilma Rousseff foi ao Senado para se defender na segunda-feira (29).

O Senado Federal aprovou às 13h35 desta quarta-feira (31) por 61 votos a 20 o afastamento definitivo da presidente da República Dilma Rousseff (PT). Quase dois anos após ser reeleita com 54,5 milhões de voto, ela se tornou o segundo presidente da República da história do Brasil a sofrer impeachment. Com a destituição, Michel Temer (PMDB) assumirá o comando do País. 

Ele já estava como presidente em exercício desde 12 de maio, quando o Senado tinha aprovado o afastamento temporário da petista.

Michel Temer tomará posse como presidente efetivo em sessão do Congresso Nacional marcada para a tarde desta quarta-feira, 31. Logo em seguida, viajará para a China, onde participará da reunião do G-20. 

Para isso, terá antes de passar o exercício da presidência da República ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que se tornou o primeiro na linha de sucessão, seguido pelos presidentes do Senado e do Supremo Tribunal Federal (STF).

Sessão

A sessão começou às 11h16, com 16 minutos de atraso. Na abertura o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Ricardo Lewandoski, que comandou toda a fase final do julgamento, leu um resumo do processo com a argumentação da acusação e da defesa de Dilma.

Em seguida, um requerimento de destaque foi apresentado pelo PT por meio do senador Humberto Costa (PT-PE) para fatiar a votação. O partido queria que a cassação e a inegibilidade política de Dilma fossem tratadas separadamente. A apreciação do destaque foi acatada por Lewandowski, apesar de contestações de Ronaldo Caiado (DEM-GO) e Cássio Cunha Lima (PSDB-PB).

O presidente do STF discorreu sobre as normas do Senado que tratam do assunto, lembrou situações parecidas no Supremo, disse que não poderia se pronunciar por não estar ali como juiz e deixou que o plenário decidisse "soberanamente".

Depois, então, chegou o momento da votação final da perda do mandato de Dilma, por meio eletrônico. Cada parlamentar votou usando os computadores nas mesas do plenário e o resultado foi anunciado no painel.

Processo

O pedido de impeachment de Dilma foi apresentado pelos juristas Hélio Bicudo, Miguel Reale Júnior e Janaína Paschoal em outubro do ano passado. Eles pediram a saída de Dilma, sob a acusação de que ela cometeu crime de responsabilidade ao editar três decretos de crédito suplementar sem autorização do Congresso Nacional e atrasar o repasse de recursos do Tesouro a bancos públicos para pagamento de programas sociais, o que ficou conhecido como "pedaladas fiscais".

O pedido foi aceito em 2 de dezembro pelo deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), então presidente da Câmara. Ele deflagrou o impeachment no mesmo dia em que a bancada do PT, partido de Dilma, se recusou a votar contra a abertura de seu processo de cassação por quebra de decoro parlamentar no Conselho de Ética da Câmara. Após ser debatido e aprovado em comissão especial, os deputados aprovaram o prosseguimento do processo no plenário da Casa em 17 de abril deste ano.

Da Câmara, o pedido seguiu para o Senado, onde também foi formada comissão especial. Antes de aprovar a saída definitiva de Dilma, os senadores já tinham feito duas votações sobre o impeachment. A primeira foi em 12 de maio, quando decidiram pelo afastamento por até 90 dias da petista. A segunda, em 9 de agosto, quando votaram a chamada "pronúncia" do impedimento da petista, ou seja, quando decidiram que ela iria a julgamento pelo plenário da Casa. 

O julgamento final do impeachment no Senado começou na última quinta-feira, 25 de agosto. Na primeira etapa, que durou até sábado, 27, foram ouvidas as testemunhas de defesa e de acusação. A segunda fase aconteceu na segunda-feira, 29, quando Dilma foi pessoalmente ao Senado prestar depoimento. Nessa terça-feira, 30, defesa e acusação fizeram suas considerações finais e foram seguidos dos discursos dos senadores sobre a denúncia contra a presidente.

Durante o julgamento, a acusação disse que Dilma cometeu crime de responsabilidade, pois feriu a meta fiscal ao autorizar a abertura de decretos liberando gastos no Orçamento, de créditos suplementares. Em sua defesa, Dilma negou que tivesse cometido crime de responsabilidade com esses atos. Sustentou que estava sendo alvo de um "golpe parlamentar". Seus opositores, porém, rechaçaram a tese, afirmando que o processo seguiu o trâmite estabelecido pelo Supremo.

Dos 63 parlamentares que se pronunciaram nas 12 horas de sessão da terça-feira, 43 apoiaram a saída permanente de Dilma. Apenas 18 defenderam a petista. Para o impeachment se confirmar eram precisos no mínimo 54 votos a favor do processo do total de 81 senadores, ou dois terços (66,66%).

Agência Estado

Agências católicas do Brasil se reunirão pela primeira vez

2016-08-31 Rádio Vaticana

Cidade do Vaticano (RV) – Com o objetivo de estimular a integração entre os grupos profissionais católicos que atuam no campo da comunicação e publicidade, a Comissão Episcopal Pastoral para a Comunicação da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) promoverá o I Encontro Nacional de Agências católicas, no dia 22 de setembro, em Brasília (DF).

Além de convidados, o encontro também está aberto a outros grupos que trabalham com a comunicação e se dirigem às dioceses e paróquias oferecendo serviços comerciais. Cerca de 20 agências de diversos estados brasileiros foram convidadas a pedido do Arcebispo de Diamantina (MG) e Presidente da Comissão, Dom Darci José Nicioli.

Resultado de imagem para dioceses do brasil cnbbEssa é a primeira vez que se busca uma articulação deste grupo de profissionais católicos que acompanham paróquias e dioceses no campo da comunicação.

“Será uma ocasião na qual os profissionais católicos da área de publicidade poderão se conhecer um pouco mais e ouvir da parte da CNBB uma palavra que pode ajudar na inspiração e animação do trabalho”, considera Padre Rafael Vieira, assessor da Comissão e coordenador do encontro.

Mais informações sobre I Encontro Nacional de Agências Católicas

(CNBB-VM)

(from Vatican Radio)

Papa Francisco recorda que só Jesus pode curar e dar dignidade às pessoas

Por Alvaro de Juana
Papa saúda uma criança deficiente. Foto: Daniel Ibáñez / ACI Prensa

Vaticano, 31 Ago. 16 / 11:00 am (ACI).- O Papa Francisco afirmou hoje, em uma nova Audiência Geral na Praça de São Pedro, que de Jesus vem a salvação para todos os homens e pode curar as pessoas e dotá-las de dignidade pois “é a única fonte de bênção”.

“Jesus, mais uma vez, com o seu comportamento cheio de misericórdia, indica para Igreja o percurso a seguir para ir ao encontro de cada pessoa, para que todos possam ser curados no corpo e no espírito e recuperar a dignidade de filhos de Deus”.

O Santo Padre recuperou a catequese que não pronunciou na semana passada por decisão própria, devido ao terremoto que aconteceu no centro da Itália. Na ocasião, o Pontífice decidiu rezar o terço junto aos fiéis pelas vítimas do sismo.

A catequese de Francisco foi dedicada à passagem evangélica da mulher tida como impura por causa das hemorragias e que consegue tocar o manto de Jesus que passa no meio da multidão.

“Quanta fé, quanta fé tinha esta mulher!”, começou dizendo o Papa. “Animada por tanta fé e esperança, e com um pouquinho de esperteza, realiza o que tinha em seu coração”.

“O desejo de ser salva por Jesus é tamanho, que ela vai além das regras estabelecidas pela lei de Moisés. Essa pobre mulher pobre, na verdade, há muitos anos não era simplesmente doente, mas era considerada impura porque sofria hemorragias”, explicou.

Portanto, “estava excluída da liturgia, da vida conjugal, dos relacionamentos normais com o próximo” e “tinha consultado muitos médicos, usando todos os seus meios para pagá-los e suportando terapias e cuidados muito dolorosos, mas só piorava”.

Francisco ressaltou que “era uma mulher descartada pela sociedade”. “É importante considerar essa condição de ‘descartada’ para entender o seu estado de espírito: ela sente que Jesus pode libertá-la da doença e do estado de marginalização e indignidade em que se encontra há anos”.

Deste modo, o Santo Padre sublinhou uma vez mais a importância da mulher. “Todos devemos prestar atenção, também as comunidades cristãs, para óticas da feminilidade cheias de preconceitos e suspeitas que lesam a intangível dignidade da mulher”.

“Jesus admirou a fé desta mulher que todos evitavam e transformou sua esperança em salvação. Não sabemos o seu nome, mas as poucas linhas com as quais o Evangelho descreve o seu encontro com Jesus delineiam um itinerário de fé capaz de reestabelecer a verdade e a grandiosidade da dignidade de todas as pessoas”.

Assim, “no encontro com Cristo se abre para todos, homens e mulheres de todos os lugares e tempos, o caminho da libertação e da salvação”, destacou.

No momento em que toca o manto de Jesus, ele “a vê e o seu olhar não é de reprovação, mas sim de misericórdia e de ternura”. “Ele sabe o que aconteceu e busca o encontro pessoal com ela, aquilo que no fundo a própria mulher desejava”.

Francisco explicou que isso “significa que Jesus não somente a acolhe, mas a considera digna de tal encontro ao ponto de lhe dirigir a sua palavra e sua atenção”.

O Pontífice sublinhou que “na parte central desse relato, termo salvação é repetido três vezes” e lhe dá ânimo. “Este ‘coragem, filha’ é a expressão de toda a misericórdia de Deus por aquela mulher e por todas as pessoas descartadas”.

A salvação assume, então, “múltiplas conotações”: “Em primeiro lugar, restitui a saúde à mulher; depois a liberta das discriminações sociais e religiosas; realiza a esperança que ela tinha no coração, anulando seus medos e seus desconfortos; e, enfim, a restitui à comunidade, libertando-a da necessidade de seguir escondida”.

O Papa afirmou que “o que Jesus dá é uma salvação total, que reintegra a vida da mulher na esfera do amor de Deus e, ao mesmo tempo, a reestabelece em sua plena dignidade”.

Em resumo, “não é a túnica que a mulher tocou o que lhe dá a salvação, mas a palavra de Jesus, acolhida na fé, que é capaz de consolá-la, curá-la e restabelecê-la na no relacionamento com Deus e com seu povo”.

Sabor de Caribe

Banhada pelo mar do Caribe, São Domingos guarda séculos de história.

São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
São Domingos tem belas praias, gastronomia e uma vida noturna vibrante.
Por Marco Lacerda*
Mais antiga cidade fundada pelos espanhóis nas Américas, Santo Domingo – ou São Domingos, em português – tem um centro histórico que concentra edificações como os primeiros hospital, catedral e universidade construídos no continente. Isso valeu à capital do país a entrada na lista da Unesco de Patrimônio da Humanidade.
Saindo da Plaza España, ao lado do porto, é possível ir a pé ao El Faro a Colón, onde os dominicanos acreditam que estão enterrados os restos mortais de Cristóvão Colombo, e à Fortaleza de Ozama, que leva o mesmo nome do rio que cruza a cidade. A 30 quilômetros do Centro, fica uma das praias mais famosas da região, Boca Chica, com oito quilômetros de orla banhada pelo mar do Caribe, piscinas naturais e alta concentração de hotéis, boates e restaurantes.
À noite, a principal avenida de Santo Domingo, a George Washington, mais conhecida como Malecón, vira uma espécie de galeria a céu aberto, onde os artistas locais expõem seus trabalhos. Para sentir o clima da capital, o negócio é mesmo curtir a vida noturna, aprendendo a dançar o merengue e provando os drinques coloridos feitos com rum nos bares e nightclubs.
Na hora das compras, dê uma vasculhada no Mercado Modelo, com boas opções de artesanato popular. E não se esqueça de que a República Dominicana é famosa pelos charutos feitos a mão, que podem render bons presentes – e são vendidos em todo canto de Santo Domingo.
Um passeio por São Domingos. Veja o vídeo.
*Marco Lacerda é jornalista, escritor e Editor Especial do Dom Total.

Eventos internacionais aumentaram 400% no país

domtotal.com
Atualmente, 54 cidades brasileiras sediam esses eventos, mostrando expansão de 154%.
A pós-Olimpíada favorece a busca de turistas o ano inteiro, por meio de organização de eventos.
A pós-Olimpíada favorece a busca de turistas o ano inteiro, por meio de organização de eventos.

O número de eventos internacionais no Brasil cresceu 400% em dez anos, passando de 61 para 315 por ano. Atualmente, 54 cidades brasileiras sediam esses eventos, mostrando expansão de 154% em relação aos 22 municípios registrados há uma década. Os dados, do Ministério do Turismo, foram divulgados durante o Encontro do Setor de Feiras e Eventos realizado nessa terça-feira (30) no Rio de Janeiro, com a presença de autoridades e executivos de vários segmentos do turismo de negócios. Realizado pela primeira vez na capital fluminense, o encontro teve o objetivo de discutir novos rumos para o setor e mostrar o potencial da cidade para a realização de eventos internacionais, após os Jogos Olímpicos e Paralímpicos.

O mercado de eventos mostra crescimento médio de 14% ao ano no Brasil, com movimentação de recursos de R$ 209,2 bilhões e um total de R$ 48,69 bilhões em impostos arrecadados. O setor gera em torno de 7,5 milhões de novos postos de trabalho diretos, indiretos e terceirizados.

O presidente do Instituto Brasileiro de Turismo) (Embratur), Vinícius Lummertz, lembrou que o Brasil é um dos dez maiores organizadores de eventos internacionais do mundo, de acordo com a Associação Internacional de Congressos e Convenções (Icca, a sigla em inglês). "E nós da Embratur trabalhamos para captar eventos internacionais em todo o mundo, em parceria com estados, com cidades. Entendemos que o Rio de Janeiro, em especial, é hoje uma cidade que tem tamanho turístico muito maior, com mais do dobro do número de hotéis e infraestrutura de eventos", afirmou.

Para ele, a Barra da Tijuca, na zona oeste, onde estão situados o Parque Olímpico e grande parte dos hotéis da cidade, vai se transformar em um local de atração de turistas corporativos, de eventos, "que são os que deixam mais recursos no Brasil. Esse tipo de turismo é o mais rentável de todos", destacou.

Segundo o presidente da Embratur, os países desenvolvidos descobriram que o turismo de negócios é fonte de ganho para a geração e a qualificação de empregos. "E o Brasil deve mergulhar, de maneira especial, na busca e atração desses grandes eventos". A ideia, lembrou, é acelerar esse processo.

Pós-Olimpíada

Vinicius Lummertz disse que a transformação do Rio de Janeiro para os jogos, que inclui a construção de novos hotéis, museus, centros de convenção, infraestrutura em termos de mobilidade urbana, além da fixação da marca Rio no mercado externo, deram "cara nova" à capital. Na sua opinião, isso favorece a busca de mais turistas o ano inteiro, por meio de ações de promoção e organização de eventos. "Essa é uma economia nova, a economia de serviços, onde o Rio se destaca".

Para Lummertz, é na área de serviços que haverá maior criação de empregos nos próximos anos. "Temos que apostar nisso, para que signifique novas oportunidades para os nossos jovens".

Ele disse que no verão passado os R$ 15 milhões investidos em promoção do Brasil em países latino-americanos tiveram "retorno altíssimo". Somente os argentinos deixaram no país, em 2015, R$ 8 bilhões, informou. Para repetir e ampliar esse movimento, "a gente precisa de uma Embratur forte, como é desejo do setor", manifestado durante o encontro no Rio. Segundo Lummertz, os recursos investidos voltam sob a forma de viagens, impostos, empregos.

É preciso, acrescentou, responder a esse desafio, principalmente agora que o Brasil está reconhecido pela mídia com a realização dos Jogos Olímpicos, esforço que começou nos Jogos Pan-Americanos de 2007, fechando agora com a Olimpíada. "Isso tudo foi investimento. Para retornar, é preciso manter a chama acesa, como a chama olímpica".

Agência Brasil

Rebecca, A Mulher Inesquecível- Um clássico de Hitchcock, volta aos cinemas

domtotal.com
Por Charles Mascarenhas

O cineasta Alfred Hitchcock (1899-1980) é consideradoo mestre do suspense no cinema. Nascido em Londres, mudou-se para os Estados Unidos em 1939, onde produziu o longaRebecca,primeiro filme dirigido em Hollywood. Rebeccateve 11 indicações ao Oscar de 1941 e  recebeu duas premiações: melhor filme e melhor fotografia preto e branco.  A grande novidade para os amantes de Hitchcock é que o filme foi restaurado recentemente e está de volta aos cinemas.

O roteiro de Rebeccaé baseado no romance homônimo de Daphene Du Maurier. No Brasil, o título foi adaptado para: Rebecca, A Mulher Inesquecível.

O filme é sobre uma jovem humilde, papel da Joan Fontaine, que se casa com o nobre inglês Maxim de Winter (Laurence Oliver), que a leva para morar em sua mansão , onde havia vivido com a falecida esposa, Rebecca de Winter.

Um drama psicológico, o filme vai se construindo devagar.O novo casal se conhece em Monte Carlo. A aparência de felicidade e amor são construídas por cenas externas e em ambientes claros, isso provoca no espectador a ideia de que será uma simples história de duas pessoas que se amam. O que muda completamente depois dos 30 primeiros minutos.

Já casada e morando na mansão, a nova Sra. Winter, que a propósito, nunca teve seu nome revelado na trama, precisa enfrentar o “fantasma” de Rebecca. Esta, apesar de morta, parece ainda estar habitando a mansão, pois todos que ali vivem, mantém as dependências como uma espécie de memorial da falecida. A governanta (Judith Anderson) é figura central na construção da personagem-fantasma, pois reaviva constantemente as lembranças da antiga patroa. Tudo isso contribui para uma sensação claustrofóbica à personagem de Joan Fontaine.

Para construira narrativa de suspense, Hitchcock encadeou atrilha sonora de Franz Waxmanàs cenas internas e noturnas nos grandes cômodos da mansão, no intuito de deixar nova moradora sempre pequena, frágil e perdida.

Vale lembrar que Hitchcock a princípio foi convidado aos Estados Unidos pelo  produtor David O. Selznick, para filmar uma adaptação de Titanic, mas esta ideia foi abandonada e substituída por Rebecca.

Quase 80 anos depois, essa obra volta aos cinemas para nos surpreender. Vale a Pena conferir!


Charles Mascarenhas
Graduando em cinema e audiovisual pela PUC-Minas e estudante de cursos livres de teatro.

Município: lugar de convivência fraterna

domtotal.com
A dimensão da vida social é uma característica essencial da pessoa humana.
O que caracteriza um povo é a partilha de vida e de valores para gerar laços de fraternidade.
O que caracteriza um povo é a partilha de vida e de valores para gerar laços de fraternidade.

Por Dom Rodolfo Luís Weber*

Em primeiro plano, na presente campanha eleitoral, o foco está na escolha dos prefeitos e vereadores para os municípios. É uma tarefa desafiadora para os eleitores, pois envolve muitos aspectos. Muitas perguntas precisam ser respondidas para fazer a escolha. Qual a situação atual do município? Qual o perfil do candidato que melhor responderá às necessidades atuais? Quais são os projetos que melhor respondem às necessidades?

Outras questões importantes se somam durante a campanha. O que é um município? Como deve ser estruturado para alcançar a sua finalidade? Que município queremos? Quais são os direitos e deveres de cada cidadão. Quem é responsável pela construção do município? Quais são as competências dos poderes municipais? São algumas, entre outras perguntas, que podem ser feitas. As respostas também são diferentes dependendo do ponto de vista.

A dimensão da vida social é uma característica essencial da pessoa humana. A organização do povo em nações, estados e municípios é uma resposta para a satisfação das necessidades fundamentais da pessoa humana e para realização de projetos inatingíveis individualmente. Porém, a pessoa humana é sempre o fundamento e o fim das organizações.

Antes de sua organização estrutural, o que caracteriza um povo é a partilha de vida e de valores para gerar laços de comunhão e fraternidade. “É que, acima de tudo, há de considerar-se a convivência humana como realidade eminentemente espiritual: como intercomunicação de conhecimentos à luz da verdade, exercício de direitos e cumprimento dos deveres, incentivo e apelo aos bens morais, gozo comum do belo em todas as suas legítimas expressões, permanente disposição de fundir em tesouro comum o que de melhor cada qual possua, anelo de assimilação de valores espirituais. Valores esses nos quais se vivifica e orienta tudo o que diz respeito à cultura, ao desenvolvimento econômico, às instituições sociais, aos movimentos e regimes políticos, à ordem jurídica e aos demais elementos, através dos quais se articula e se exprime a convivência em incessante evolução” (Papa João XXIII, Pacem in Terris, 1963, nº36).

Santo Tomás de Aquino (1225-1274), escrevendo sobre a ética na sociedade, dizia que a convivência na sociedade devia ser baseada na amizade civil. Argumentava que a convivência civil e política não podia ser fundamentada somente nas leis, nos direitos e deveres da pessoa. Direitos e deveres são fundamentais e imprescindíveis para o bom funcionamento das instituições. Porém não pode ser esquecida a amizade entre as pessoas, o espírito de colaboração, doação, voluntariado. Isto cria um ambiente de convivência fraterna. Portanto, uma sociedade não se faz só de leis, mas também de amizade, de boa convivência e fraternidade.

Para que o município possa subsistir de forma orgânica e com ordem há a necessidade de uma autoridade que o governe. A autoridade política é, portanto, necessária em função das tarefas que lhe são atribuídas e deve ser uma componente positiva e insubstituível da convivência civil. “A autoridade política é o instrumento de coordenação e direção, mediante o qual os indivíduos e corpos intermédios se devem orientar para a ordem cujas relações, instituições e procedimentos estejam ao serviço do crescimento humano integral” (Compêndio da Doutrina Social da Igreja nº 294).

Pensamentos, propostas, opiniões diferentes sobre o município e seu futuro não são um problema para a convivência fraterna quando há o sentido de justiça, de diálogo e de serviço do bem comum.

CNBB 26-08-2016
*Dom Rodolfo Luís Weber: Arcebispo de Passo Fundo.

O Reino de Deus e as árvores

domtotal.com
Árvores trazem a ideia de segurança, de que algo é inabalável e inatingível.
Deveríamos aprender com as árvores a beleza da vida.
Deveríamos aprender com as árvores a beleza da vida.

Fabrício Veliq*

Gosto de pensar em árvores. Elas possuem suas raízes geralmente grandes, seus troncos ora grossos, ora não tão grossos assim e suas folhas verdes nas estações corretas.

Gosto de pensar que toda árvore serve para alguma coisa. Seja para dar sombra, seja para embelezar paisagens, seja para servir de ninhos aos pássaros.

Árvores geralmente são admiradas pelas flores ou frutos que produzem. Sinceramente prefiro observar as flores aos frutos, mas de toda forma, há sempre alguém admirando uma árvore em algum lugar.

Árvores trazem a ideia de segurança, de que algo é inabalável e inatingível, de que podemos repousar sobre ela e ela continuará para sempre a nos proteger do calor do sol, que sempre terá uma beleza para se ver e um fruto para comer dela.

O que gosto de pensar é que árvores assim, que trazem todas essas conotações, são as árvores que possuem as raízes profundas. Raízes que foram se estendendo para além da terra no decorrer do tempo.

Leva-se tempo para que árvores se tornem fortes e inabaláveis nas diversas tempestades e ventanias que se abate sobre elas e, não é sem perdas que essas se tornam fortes.
E assim somos nós também.

Deveríamos aprender com as árvores a beleza da vida, a consciência de que é com raízes profundas que se alcançam alturas inimagináveis e que crescimento interior leva tempo e exige a disposição de penetrar nos solos da alma e sondar-se a cada dia.

Árvores não desejam ser grandes, simplesmente crescem e se desenvolvem, tanto para baixo, quanto para cima.

Na maioria das vezes não percebemos seu crescimento para baixo, somente o crescimento para cima. E acho que isso é uma grande lição para nós.

As pessoas ao nosso redor, dificilmente perceberão o crescimento de nossas raízes, só perceberão o aparecimento de nossas flores e frutos. Mas nós devemos saber como nossas raízes tem crescido e para onde ela tem crescido e isso fará diferença nas flores e frutos que serão vistos.

Devemos estender nossas raízes para os lugares e para as pessoas que nos farão crescer e desenvolver a fim de que possamos dar frutos e flores que alimentem vidas e encante almas ao se aproximarem de nós.

Jesus certa vez comparou o reino de Deus a um grão de mostarda que mesmo sendo a menor das sementes, ao crescer se torna uma grande árvore e dá repouso às aves que fazem nela os seus ninhos. Disso podemos também tirar um grande ensinamento: de que aquilo que, muitas vezes parece imperceptível e que, muitas vezes, consideramos como insignificante, esconde em si um potencial de grande transformação e alento para diversas pessoas.

O reino de Deus, que aos olhos de muitos é visto como mera projeção de um mundo que queremos ou como tentativa de fuga da realidade que vivemos no dia a dia, na fala de Jesus, se mostra somente como devir.

No instante que vemos o grão de mostarda, somente pela fé é que conseguiremos ver a grande árvore que sairá dali. Da mesma forma, é somente pela fé que vemos, nas pequenas sementes do Reino que já se mostra, o Reino vindouro de Deus, onde Ele reinará sobre todas as coisas.

Assim, pensar em árvores e pensar no Reino de Deus nos traz outro grande ensinamento: de que a fé, aliada à esperança, nos faz, apesar de todas as dificuldades e de todas as mazelas que vemos no mundo, lutar contra as injustiças e contra o descaso contra os oprimidos, sofrer com eles em simpatia e empatia por percebermos que não é esse o Reino que há de vir.

Ao fazermos isso, lutando por justiça, por igualdade e contra toda opressão, mostramos os diversos grãos de mostarda que, aos nossos olhos, um dia se transformarão em grande árvore dando alento a todo aquele que a buscar.

* Fabrício Veliq é mestre e doutorando em teologia pela Faculdade Jesuíta de Belo Horizonte (FAJE), formado em matemática e graduando em filosofia pela UFMG.Atualmente ministra cursos de teologia no curso de Teologia para Leigos do Colégio Santo Antônio, ligado à ordem Franciscana. É protestante e ama falar sobre teologia em suas diversas conversas por aí.

Hoje é celebrado São Raimundo Nonato, padroeiro das grávidas e parturientes

Por Abel Camasca

REDAÇÃO CENTRAL, 31 Ago. 16 / 05:00 am (ACI).- Diz-se que São Raimundo nasceu em uma família nobre da Espanha por volta do ano 1200. Foi-lhe dado o apelido de “non natus” (não nascido), porque sua mãe morreu no parto, antes que ele viesse à luz. Por esse fato, é tradicionalmente considerado padroeiro das mulheres grávidas, parturientes (que vão dar à luz), parteiras e recém-nascidos.

Ingressou na ordem dos Mercedários, comunidade que acabara de fundar São Pedro Nolasco com a missão de resgatar os cristãos que os muçulmanos tomavam como prisioneiros. Depois de dois ou três anos de sua profissão perpétua, sucedeu o fundador no serviço de “resgatar os cativos”.

Foi enviado para o norte da África com uma grande soma de dinheiro e resgatou muitos escravos. Quando acabaram os recursos econômicos, São Raimundo Nonato se ofereceu como refém pela liberdade de alguns prisioneiros que estavam em uma situação difícil e prestes a perder a fé.

Este sacrifício do santo exasperou os infiéis e o trataram com extrema crueldade, mas não o mataram porque o magistrado principal procurava ganhar muito dinheiro com seu resgate.  São Raimundo aproveitou o “tratamento humano” que lhe ofereceram para poder sair à rua, confortar os cristãos e converter muçulmanos.

Ao inteirar-se disso, o governador o condenou morrer empalado, mas, pelos interesses econômicos, foi apenas flagelado. Isso não desanimou o santo, que continuou ajudando e evangelizando. Como castigo, foi açoitado nas esquinas da cidade, teve os lábios perfurados com ferro quente e colocaram um cadeado em sua boca, cuja chave somente o governador tinha.

Por cerca de oito meses, São Raimundo viveu nesta penosa situação até que São Pedro Nolasco pôde enviar alguns membros da ordem para resgatá-lo.

São Raimundo retornou à Espanha por obediência e mais tarde foi nomeado cardeal pelo Papa Gregório IX. O santo permaneceu simples e não mudou nem suas vestes, nem sua pobre “cela” do convento de Barcelona.

Posteriormente, o Papa lhe pediu que fosse a Roma e empreendeu a viagem como um religioso humilde. Ao chegar a Cardona, a cerca de dez quilômetros de Barcelona, ??foi surpreendido por uma febre violenta e partiu para a Casa do Pai em 31 de agosto de 1240.

Oração a São Raimundo Nonato por um parto feliz

Oh! Santo padroeiro, São Raimundo Nonato, modelo de caridade aos pobres e necessitados, aqui estou eu, deitada a vossos pés para, humildemente, implorar a sua ajuda nesta minha necessidade.

Como sua maior alegria foi ajudar aos pobres e necessitados da terra, ajude-me, peço-vos, ó glorioso São Raimundo, nesta minha aflição. A vós, oh glorioso protetor, vim para que abençoe a criança que carrego em meu ventre.

Proteja a mim e ao filho das minhas entranhas agora e na hora do nascimento que se aproxima. Em troca, prometo educar meu filho de acordo com as leis e mandamentos de Deus.

Escuta a minha oração, meu protetor amoroso, São Raimundo, e me faça a feliz mãe desta criança que, espero, possa dar à luz através da sua poderosa intercessão. Amém.

Europa: Papa lamenta perda das raízes cristãs

Agência Ecclesia 30 de Agosto de 2016, às 13:18 
    Mensagem ao 14.º Simpósio Intercristão que decorre na Grécia

Cidade do Vaticano, 30 ago 2016 (Ecclesia) - O Papa Francisco lamentou a perda das raízes cristãs na Europa e o afastamento de muitos batizados em relação à sua fé, numa mensagem enviada a um simpósio ecuménico.

“Muitas pessoas batizadas não estão conscientes do dom de fé que receberam e não participam na vida da comunidade cristã porque perderam o contacto com suas raízes cristãs”, refere o pontífice argentino.

A mensagem foi transmitida ao cardeal Kurt Koch, presidente do Conselho Pontifício para a Promoção da Unidade dos Cristãos (Santa Sé), que participou no simpósio ‘A necessidade de reevangelizar as comunidades cristãs na Europa’, com católicos e ortodoxos.

14.º Simpósio Intercristão começou no domingo e termina hoje em Salónica (Grécia), uma iniciativa promovida pelo Instituto Franciscano de Espiritualidade da Universidade Pontifícia ‘Antonianum’ e pela Faculdade Teológica Ortodoxa da Universidade Aristóteles de Salónica.

O Papa afirma na sua mensagem que existe a c”lara necessidade de uma nova obra de evangelização na Europa.

Francisco diz esperar que as reflexões propostas no Simpósio, com o intercâmbio entre católicos e ortodoxos, contribuam para identificar “novos caminhos, métodos criativos e uma linguagem apropriada” para levar o anúncio de Jesus Cristo ao mundo contemporâneo.

Já o patriarca ecuménico de Constantinopla (Igreja Ortodoxa), Bartolomeu I, alertou para as consequências da crise de valores e da perda da herança cristã na Europa.

“Os recentes ataques terroristas são uma demonstração do afastamento das tradições cristãs por parte dos cidadãos europeus, que estão a adotar novas teorias e costumes, completamente opostos à lei de Deus”, escreve o responsável cristão, numa mensagem citada pela Rádio Vaticano.

OC

Canonização: Santa Sé promove exposição sobre Madre Teresa na ONU

Agência Ecclesia 30 de Agosto de 2016, às 16:46  
      
Mostra em Nova Iorque evoca vida e obra da santa de Calcutá em defesa dos pobres

Lisboa, 30 ago 2016 (Ecclesia) - A Missão Permanente da Santa Sé na ONU e a ‘Alliance Defending Freedom’ (ADF, Aliança pela Defesa da Liberdade), vão promover uma exposição na sede das Nações Unidas, em Nova Iorque, sobre a vida e obra de Madre Teresa de Calcutá.

A iniciativa insere-se no programa de atividades que visam assinalar em vários países a canonização da religiosa, marcada para o próximo domingo, no Vaticano, sob a presidência do Papa Francisco.

A exposição sobre a fundadora das Missionárias da Caridade tem como título 'A vida de Madre Teresa e o seu legado para a ONU', decorrendo de 6 a 9 de setembro.

No último dia, vai ter lugar uma conferência sobre a nova santa com testemunhos e painéis sobre a vida e obra junto dos mais pobres da vencedora do Prémio Nobel da Paz em 1979.

O Vaticano anunciou em dezembro de 2015 que o Papa Francisco iria proclamar como santa a Madre Teresa de Calcutá (1910-1997), depois de ter aprovado um milagre atribuído à intercessão da religiosa.

A Congregação para a Causa dos Santos (Santa Sé) tinha dado ‘luz verde’ à causa após ter concluído as investigações sobre a cura miraculosa de um homem brasileiro, de 35 anos, afetado por uma grave doença no cérebro, que se curou de uma forma tida como inexplicável.

Ganxhe Bojaxhiu, a Madre Teresa, nasceu em Skopje (Macedónia), pequena cidade com cerca de vinte mil habitantes então sob domínio otomano, a 26 de agosto de 1910, no seio de uma família católica que pertencia à minoria albanesa, no sul da antiga Jugoslávia.

A 25 de dezembro de 1928 partiu de Skopje rumo a Rathfarnham, na Irlanda, onde se situa a Casa Geral do Instituto da Beata Virgem Maria, para abraçar a Vida Religiosa, com o ideal de ser missionária na Índia.

Acabou depois por embarcar rumo a Bengala, passando por Calcutá até Dajeerling, numa casa da Congregação fundada pela missionária Mary Ward, onde escolheu o nome de Teresa.

Madre Teresa absorveu o estilo de vida bengali e, posteriormente, transmitiu-o às suas religiosas, quando fundou as Missionárias da Caridade.

O seu trabalho nas ruas de Calcutá centrou-se nos pobres da cidade que morriam todas as noites, vestida com um sari branco, debruado de azul, a imagem com que o mundo se habituou a vê-la.

A religiosa faleceu a 5 de setembro de 1997, na casa geral da congregação que fundou, em Calcutá, aos 87 anos de idade.

Foi beatificada por João Paulo II a 19 de outubro de 2003, depois de o Papa polaco ter autorizado que o processo decorresse sem esperar pelos cinco anos após a morte exigidos pela lei canónica.

A cerimónia de canonização de Madre Teresa de Calcutá vai ter lugar a 4 de setembro, na praça de São Pedro, a partir das 10h30 (menos uma em Lisboa).

A canonização, ato reservado ao Papa desde o século XIII, é a confirmação, por parte da Igreja Católica, que um fiel católico é digno de culto público universal (os beatos têm culto local) e de ser apresentado aos fiéis como intercessor e modelo de santidade.

OC

Francisco defende maior atenção a «pobres e marginalizados»


Agência Ecclesia 31 de Agosto de 2016, às 12:49       

Papa dirigiu-se a congresso da Sociedade Europeia de Cardiologia, presidida pelo português Fausto Pinto

Roma, 31 ago 2016 (Ecclesia) - O Papa discursou hoje em Roma perante num congresso promovido pela Sociedade Europeia de Cardiologia (SEC) para pedir maior atenção no acesso aos cuidados de saúde para as vítimas da “cultura do descarte”.

“Que não haja descartados da vida humana nem da plenitude da vida humana”, pediu Francisco, perante especialistas de 140 países reunidos pela SEC, organização presidida pelo médico português Fausto Pinto.

A intervenção deixou elogios ao trabalho de investigação e de tratamento médico, deixando votos de que todos possam ter “alívio da dor, maior qualidade de vida e acrescido sentido de esperança”.

“Se olharmos para o homem na sua totalidade - permitam-me que insista neste tema - podemos ter um olhar de particular intensidade para os mais pobres, os mais desfavorecidos e marginalizados”, realçou.

Francisco quis recordar que todas estas pessoas precisam de cuidados das “estruturas de saúde públicas e privadas”.

O Papa sublinhou a simbologia do coração antes de falar da “grande responsabilidade” dos cardiologistas e dos médicos em geral.

“Também eu já estive nas mãos de alguns de vós”, recordou.

Francisco alertou para a “tentação de sufocar a verdade” perante “o grande mistério da existência humana”, que não pode ser explicado apenas “pelas ciências naturais e físicas”.

“A abertura à graça de Deus, feita através da fé, não fere a mente, pelo contrário, leva-a a um conhecimento da verdade mais amplo e útil para a humanidade”, sustentou.

Fausto Pinto, presidente da SEC, dirigiu uma saudação ao Papa, na qual recordou que as doenças cardiovasculares são a principal causa de morte no mundo, frisando o propósito comum, com o Vaticano, de “ajudar as pessoas em necessidade”, “aliviando o sofrimento e promovendo estilos de vida saudáveis”.

O responsável apelou à aposta na prevenção para enfrentar uma “crise de saúde pública”, esperando que a visita do Papa ajude a despertar consciências

“Obrigado pelo seu apoio a esta luta sem fronteiras”, concluiu.

OC

Papa Francisco: «desenvolvimento humano integral»

Agência Ecclesia 31 de Agosto de 2016, às 11:25 
       
Novo dicastério da Cúria Romana vai ser presidido por cardeal africano

Cidade do Vaticano, 31 ago 2016 (Ecclesia) - O Papa anunciou hoje a criação de uma nova estrutura na Cúria Romana, dedicada ao “desenvolvimento humano integral”, que vai integrar quatro conselhos pontifícios existentes até agora, a partir de 1 de janeiro de 2017

O “Dicastério para o Serviço do Desenvolvimento Humano Integral” vai ser presidido pelo cardeal Peter Turkson, natural do Gana, atual presidente do Conselho Pontifício Justiça e Paz (CPJP).

Além do CPJP, a nova estrutura integrada nos organismos de governo central da Igreja Católica, no Vaticano, vai assimilar os conselhos pontifícios ‘Cor Unum’ (área da ação caritativa), Pastoral da Saúde e Migrantes/Itinerantes.

O ‘Motu Proprio’ (decreto pessoal do Papa) que institui o dicastério foi publicado hoje na sala de imprensa da Santa Sé, juntamente com o estatuto do novo organismo.

Os documentos foram aprovados por Francisco a 17 de agosto, acolhendo a proposta do Conselho de Cardeais, com elementos dos cinco continentes, que aconselha o Papa na renovação da Cúria Romana.

“Em todo o seu ser e agir, a Igreja está chamada a promover o desenvolvimento integral do homem à luz do Evangelho”, escreve o pontífice argentino.

O Papa sublinha no decreto de constituição do dicastério que este desenvolvimento tem lugar “mediante o cuidado dos bens incomensuráveis da justiça, da paz e da proteção da criação”.

A nova estrutura, acrescenta, visa “atender melhor às exigências dos homens e mulheres” a que a Igreja está chamada a servir.

Francisco precisa que este dicastério terá competências de modo particular nas áreas relacionadas com “as migrações, com os necessitados, os enfermos e excluídos, os marginalizados e as vítimas dos conflitos armados e desastres naturais, os presos, os desempregados e as vítimas de qualquer forma de escravidão e de tortura”.

A 17 de agosto o Papa tinha anunciado a criação uma nova Congregação na Cúria Romana para as áresa 'Leigos, Família e Vida'.

OC

Papa recusa «preconceitos» e «suspeitas» na Igreja face ao mundo feminino

Agência Ecclesia 31 de Agosto de 2016, às 11:01
Foto: Lusa   
Foto: Lusa
Francisco pede respeito pela «dignidade intocável» das mulheres

Cidade do Vaticano, 31 ago 2016 (Ecclesia) - O Papa Francisco disse hoje no Vaticano que a Igreja deve evitar “preconceitos” na sua visão sobre o mundo feminino, respeitando sempre a dignidade das mulheres.

“Todos devemos estar alerta, também as comunidades cristãs, diante de visões da feminilidade cheias de preconceitos e suspeitas que lesam a dignidade intocável da mulher”, alertou, durante a audiência pública semanal que decorreu na Praça de São Pedro.

O encontro prosseguiu as reflexões do Papa sobre o Ano Santo da Misericórdia, partindo de uma narração do Evangelho em que Jesus diz a uma mulher “que a sua fé “a salvou”.

“Quanta fé, quanta fé tinha esta mulher. Tida como impura por causa das hemorragias e, por isso, excluída das liturgias, da vida conjugal, das normais relações com os demais: era uma mulher descartada pela sociedade”, precisou Francisco.

O pontífice argentino convidou os presentes a refletir sobre a forma como as mulheres são entendidas e representadas.

“Jesus admirou a fé desta mulher que todos evitavam e transformou a sua esperança em salvação. Não sabemos o seu nome, mas as poucas linhas com as quais o Evangelho descreve o seu encontro com Jesus delineiam um itinerário de fé capaz de reestabelecer a verdade e a grandiosidade da dignidade de todas as pessoas”, acrescentou.

A catequese sublinhou o lugar privilegiado que Jesus dava aos “descartados” da sociedade, aos pecadores.

“O Senhor nos diz: ‘coragem, vem, para mim não és um descartado. Coragem filho, tu és um filho e uma filha’. Este é o momento da graça, do perdão, momento de inclusão na vida de Jesus, da Igreja, de misericórdia”, observou.

Após a intervenção, o Papa saudou os peregrinos e visitantes de vários países, incluindo os de língua portuguesa, presentes na Praça de São Pedro.

“Queridos amigos, Jesus vos chama a levar a alegria e a consolação do Evangelho a todos os homens e mulheres, como suas autênticas testemunhas! Que Deus vos abençoe a todos”, disse.

OC

terça-feira, 30 de agosto de 2016

Países europeus perderam o contato com suas raízes’

 domtotal.com
Recentes ataques terroristas são uma demonstração do afastamento das tradições cristãs.
'Muitas pessoas batizadas não são conscientes do dom de fé'
'Muitas pessoas batizadas não são conscientes do dom de fé'

Foi publicada na manhã desta segunda-feira (29/08) a mensagem enviada pelo Papa Francisco ao Cardeal Kurt Koch, Presidente do Pontifício Conselho para a Promoção da Unidade dos Cristãos. Ele participou de um simpósio em Salonica, na Grécia, intitulado “A necessidade de re-evangelizar as comunidades cristãs na Europa”, cujo objetivo é “favorecer o confronto teológico e cultural entre católicos e ortodoxos”. 

O encontro é promovido pelo Instituto Franciscano de Espiritualidade da Universidade Pontifícia Antonianum e pela Faculdade Teológica Ortodoxa da Universidade Aristoteles de Salonica.

Em sua mensagem, o pontífice encoraja a realização do simpósio porque a seu ver existe a clara necessidade de uma nova obra de evangelização na Europa: “Muitas pessoas batizadas não são conscientes do dom de fé que receberam e não participam da vida da comunidade cristã porque perderam o contato com suas raízes cristãs”, afirma o Papa.

Novos caminhos

Assim, Francisco diz esperar que as reflexões propostas no simpósio, com o intercâmbio entre os estudiosos católicos e ortodoxos, contribuam para identificar novos caminhos, métodos criativos e uma linguagem apropriada para levar o anúncio de Jesus Cristo, em toda a sua beleza, ao homem contemporâneo.

Mensagem de Bartolomeu

Para o patriarca ecumênico Bartolomeu I, de Constantinopla,  a falta de valores estáveis e saudáveis e a liberdade desenfreada do homem têm conduzido a humanidade ao desespero: 

“Os recentes ataques terroristas são uma demonstração do afastamento das tradições cristãs por parte dos cidadãos europeus, que estão adotando novas teorias e costumes, completamente opostos à lei de Deus”.

“Incapazes de encontrar apoio espiritual, nossos irmãos se orientam para formas de religiosidade inspiradas em hostilidades e ódios que certamente não preenchem o seu vazio existencial”, prossegue Bartolomeu.

O patriarca sugere que “o amor pelo diálogo, pela resolução pacífica dos contrastes e pela reconciliação une os cristãos. O futuro pertence a Cristo, a sua Igreja e a sua teologia e por isso, devemos lutar para não desiludir as expectativas do mundo, que deposita esperanças no Cristianismo, em busca de consolo”.

Consequentemente, Bartolomeu encoraja os participantes do Simpósio, “que pode reforçar a unidade da comunhão e transmitir uma mensagem de fé, esperança e reconciliação a este mundo fragmentado”.

Rádio Vaticano

Pe. Geovane Saraiva na Revista digital mais completa do Brasil

http://domtotal.com/pesquisar.html?cx=012259053967918215205%3A5hjxysyg8bg&ie=UTF-8&cof=FORID%3A11&q=padre+geovane+saraiva ...