Responsável por 'rouparia' de Marcela ganha imóvel funcional

Foto: (André Dusek/Estadão Conteúdo)
 por Andréia Sadi

A Secretaria de Administração do Palácio do Planalto aprovou a concessão de apartamento funcional para duas assessoras pessoais da primeira-dama, Marcela Temer. Denise Silva dos Reis Leal e Cintia Borba estão lotadas no gabinete presidencial.

Denise atua como nutricionista da primeira-dama, sendo responsável pelos cardápios elaborados para as refeições no Palácio do Jaburu e também no Palácio da Alvorada.

Já Cintia é responsável pelas questões particulares de Marcela, segundo o Blog apurou. 

De acordo com o Planalto, ela cuida da "rouparia", atuando como uma espécie de "supervisora" da residência oficial do presidente da República.

O benefício do apartamento funcional é dado a servidores que ocupam cargos DAS 4, 5 e 6. Ambas as servidoras são DAS 4. 

Denise pleiteou o apartamento funcional à Secretaria de Administração do Processo, responsável pela autorização dos imóveis. O processo foi aprovado porque, segundo o Planalto, ela atendia a todos os requisitos exigidos. 

Porém, procurada pelo Blog, a assessoria de Temer disse nesta terça-feira (15) que o "presidente, consultado, vetou verbalmente" o imóvel à nutricionista.

Já Cintia Borba, também lotada no gabinete presidencial, foi agraciada com um apartamento funcional. O Planalto informa que ela é responsável pela "rouparia" do Palácio do Jaburu e do Alvorada, responsável pela supervisão também de "lavanderia, faxina e arrumação" das residências oficiais.

A concessão do apartamento funcional a Cintia, segundo o Planalto, ocorreu no ano passado. 

Segundo o Blog apurou, a concessão dos apartamentos funcionais a ambas irritou servidores do governo na semana passada porque existe uma fila de espera para ser atendida com os apartamentos.

E, por se tratar de assessores de Marcela, elas tiveram a preferência e passaram na frente de outros nomes que ainda aguardam ser contemplados, segundo relatos feitos ao Blog.

O Planalto, procurado pelo Blog, disse que Temer "mandou parar o processo de Denise", quando foi consultado. E que ela pediu o apartamento em janeiro.

Comentários