"Quem me dera ser leal, discreto e silencioso como minha sombra" (Dom Helder Câmara).

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Humanidade esgota nesta quarta os recursos planetários do ano

 domtotal.com
"Para satisfazer nossas necessidades, hoje deveríamos contar com o equivalente a 1,7 planeta", detalham.

Total dos recursos que o planeta pode renovar em um ano já foi consumido. (Pixabay)
A humanidade terá consumido nesta quarta-feira, dia 2 de agosto, o total dos recursos que o planeta pode renovar em um ano, e viverá de crédito até 31 de dezembro, calcula a Global Footprint Network.

A ONG destaca que esse momento chega cada vez mais cedo todos os anos.

Esta quarta-feira é o "Dia de Sobrecarga da Terra" ("overshoot day", em inglês): "A partir dessa data, a humanidade terá consumido o conjunto dos recursos que o planeta pode renovar em um ano", escreveram a Global Footprint e o WWF (World Wildlife Fund) em um comunicado conjunto.

Para seus cálculos, a Global Footprint leva em conta em particular a pegada de carbono, os recursos consumidos pela pesca, a pecuária, os cultivos, a construção e a utilização de água.

Em 2016, o "Dia de Sobrecarga da Terra" ocorreu em 3 de agosto. Embora o ritmo de progressão tenha reduzido um pouco nos últimos seis anos, esta data simbólica "continua avançando de maneira inexorável: este dia passou do final de setembro em 1997 a 2 de agosto neste ano", destacam as ONGs.

"Para satisfazer nossas necessidades, hoje deveríamos contar com o equivalente a 1,7 planeta", detalham.

"O custo deste consumo excessivo já é visível: escassez de água, desertificação, erosão dos solos, queda da produtividade agrícola e das reservas de peixes, desmatamento, desaparecimento de espécies. Viver de crédito só pode ser algo provisório porque a natureza não conta com uma jazida para nos prover indefinidamente", ressaltam o WWF e a Global Footprint.

As emissões de gases de efeito estufa "representam apenas 60% da nossa pegada ecológica mundial", lembram.

Segundo as duas organizações, "sinais animadores" indicam, no entanto, que "é possível inverter esta tendência".

Apesar do crescimento da economia mundial, "as emissões de CO2 vinculadas à energia não aumentaram em 2016, pelo terceiro ano consecutivo", ressaltam. "Isto pode ser explicado pelo grande desenvolvimento das energias renováveis para produzir eletricidade".

A comunidade internacional se comprometeu na Conferência de Paris sobre o clima (COP21), em dezembro de 2015, a reduzir as emissões de gases de efeito estufa com o objetivo de limitar o aquecimento global.

Levando em conta os dados científicos mais recentes, a Global Footprint recalcula a cada ano a data do "Dia de Sobrecarga" para os anos passados, desde que este "déficit ecológico" começou a se aprofundar, no início dos anos 1970.


AFP
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Pe. Geovane Saraiva

Pe. Geovane Saraiva

POSTAGENS POPULARES

SIGA-ME

Siga por e-mail

Tecnologia do Blogger.
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Copyright © F.G. Saraiva | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com