"Quem me dera ser leal, discreto e silencioso como minha sombra" (Dom Helder Câmara).

segunda-feira, 24 de julho de 2017

Contos edificantes: “Lágrimas de Eva, origem das pérolas”

  Aleteia Brasil | Jul 24, 2017
Pixabay
Uma popular e comovente história para crianças de todas as idades

O seguinte conto cristão, relatado mais frequentemente no mundo anglicano, retrata o estilo popular de atribuir origem encantada ou sagrada a certos elementos e fenômenos da natureza. Obviamente, não tem qualquer valor ou base doutrinal, pretendendo ser apenas uma entretida história para crianças e um veículo para algumas reflexões sobre valores. É neste sentido que esses contos populares devem ser entendidos, utilizados e aproveitados.

Diz o conto:

Quando Abel caiu ao solo, assassinado pelo irmão cruel e invejoso, Eva tentou reanimá-lo, acariciando com grande carinho materno o corpo sem vida do filho. Vendo, porém, que Abel não mais despertaria, ela saiu caminhando com profunda tristeza e desconsolo, para longe, longe, até chegar junto ao mar.

E ali se deixou ficar, boquiaberta, assombrada, a imensidão das águas que nunca tinha visto até aquele instante. Foi então que as suas primeiras lágrimas conseguiram escapar dos seus olhos tristes. E rolaram, quietas, pela face de Eva, caindo sobre pétalas de flores pequeninas que brotavam entre as pedras da praia.

Adão tinha seguido a mulher em silêncio e a observava à distância. Quando ela se afastou, foi ver o que eram aquelas gotas que tinham caído dos seus olhos. Fascinado com seu brilho, resolveu guardá-las dentro de conchas e depois enterrou-as todas na areia entre as pedras e o mar.

O mar, também curioso, esperou cair a noite, fez um ingente esforço para espichar-se, elevou‑se em ondas de espuma e chegou até o tesouro escondido, recolhendo assim as conchas para ver o que continham.

Só que as ondas, ao verem aquelas lágrimas tão puras eternizadas como pequenos globos brilhantes, também choraram: e até hoje se escutam seus gemidos quando tocam as praias e se lembram do pranto de Eva.

É por isso que, quando o homem deseja uma pérola, ele precisa escutar o pranto das ondas e aventurar-se ao meio delas, que ainda guardam, em conchas humildes, as lágrimas da primeira mãe.
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Pe. Geovane Saraiva

Pe. Geovane Saraiva

POSTAGENS POPULARES

SIGA-ME

Siga por e-mail

Tecnologia do Blogger.
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Copyright © F.G. Saraiva | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com