"Quem me dera ser leal, discreto e silencioso como minha sombra" (Dom Helder Câmara).

quinta-feira, 8 de junho de 2017

Por que Wim Wenders resolveu fazer um filme sobre o Papa Francisco?

  Jesús Colina | Jun 08, 2017
Odd ANDERSEN / AFP
Quem responde é o próprio autor de “Asas do Desejo” e presidente da Academia Europeia de Cinema

Por que um dos maiores diretores do cinema contemporâneo decidiu fazer um filme sobre o Papa Francisco? Wim Wenders, diretor de “Asas do Desejo” e presidente da Academia Europeia de Cinema, quis – ele mesmo- responder a esta pergunta.

O impacto de Wenders na vida de milhões de pessoas é surpreendente. Basta pensar, por exemplo, na influência de filmes intimistas, como “Paris, Texas” (1984) e “Tão longe, tão perto” (1993) e em documentários como o “Buena Vista Social Club”.

–– ADVERTISEMENT ––


Para compreender esse impacto, inclusive sobre as novas gerações, basta pensar que “Nada”, a última música de Shakira, uma das cantoras mais ouvidas no planeta, começa fazendo uma homenagem ao filme de Wenders, “Asas do Desejo”, uma produção que já tem 30 anos.

Como pode, então, um diretor que tem os mais altos prêmios dos festivais de Cannes, Veneza e da Academia Britânica, ter resolvido rodar um filme sobre Jorge Mario Bergoglio?

A ideia do filme, baseada em horas de filmagem com o Papa, segundo confirmou à Aleteia o próprio Wenders, foi do monsenhor Dario Viganò, o sacerdote a quem o Papa Francisco confiou o desafio de reformar e unificar a comunicação da Santa Sé.

Dias atrás, o diretor nos explicou: “Eu nunca tinha pensado em fazer um filme sobre o Papa Francisco. Ele não precisa. Não precisamos de uma biografia deste homem. Entretanto, as palavras dele despertam interesse e têm muita importância. Desde o início do seu pontificado, suas as palavras têm feito diferença. É alguém que muitas pessoas ouvem e ouvem de uma maneira diferente. As palavras dele importam, é um homem de palavra”.

Wenders explicou, num encontro com a imprensa organizado pela Diaconia da Beleza, em Cannes, que, quando o monsenhor Viganò – titular da Secretaria de Comunicação da Santa Sé – propôs a ideia de fazer o filme, os dois discutiram durante muito tempo.

No final, decidi rodar um filme focado nas palavras dele. Por este motivo, chama-se ‘A man of his word’. Estamos no processo de produção, de maneira que eu não posso dizer muita coisa. Não é o filme que desperta interesse; são as palavras do papa que importam. O filme mostra o motivo pelo qual a palavra dele é importante hoje, em um mundo em que muitos dizem um monte de porcaria”.

O filme será distribuído internacionalmente pela Focus Features, que faz parte do grupo NBC Universal, e, por enquanto, não foi anunciado quando será apresentado ao público.

Como fazer um filme de sucesso?

Nesta fase de produção, falando de alguém como Wenders, surge, irremediavelmente, a pergunta: qual é o segredo para fazer um filme de sucesso?

“Posso falar como cineasta e como espectador” – responde. “Como cineasta, posso dizer que você não consegue saber se o filme vai, verdadeiramente, ser um sucesso. Com muita frequência, você vai assistir a um filme que é sucesso de bilheteria, mas sai do cinema sem que a obra tenha sido importante para você. Em outras ocasiões, você assiste a filmes que nem sabe do que trata e sai da sala com a sensação de que ele significou muito para sua vida. Em outras palavras: não é possível planejar o sucesso de um filme.”

“Entretanto, algumas vezes acontece algo milagroso: um filme que significa muito para o diretor acaba sendo amado pelo coração das pessoas e, nesse momento, parece que o filme foi algo que fizemos juntos – o público e o diretor. Juntos, sentimos as mesmas coisas”.

“Creio que a única coisa que importa é essa milagrosa união de busca da felicidade e do sentido. Tocar no coração da audiência, que precisava daquilo naquele momento. E, felizmente, isso é algo impossível de planejar. Digo ‘felizmente’, pois, ao contrário, a indústria somente produziria filmes de sucesso”, comenta Wenders, arrancando risadas das pessoas que estavam ouvindo.

“Um filme de sucesso é um pequeno milagre. Somente pode-se dizer que o filme é um sucesso se ele ajudar as pessoas a viver melhor, a compreender melhor como viver. Isso se transformou em uma questão complexa nos nossos dias. Quando você assiste a um filme que tem um significado para você, você sai com o sentimento de que entendeu melhor a vida e passa a vê-la com outros olhos. Talvez só dure uma hora ou, talvez, este sentimento acompanhe você para sempre. Felizmente, não dá para prever. Eu tentei planejar filmes de sucesso. Às vezes, consegui. Fiz filmes que eu achei que atrairiam muitas críticas, mas foram sucesso. Não dá para programar isso”.

A vocação do diretor de cinema

Wenders concebe a vocação do diretor de cinema com estas palavras: “quando alguém faz um filme, o que está fazendo é compreender o que se esconde atrás das imagens, atrás da superfície. É necessário escavar a superfície para saber o que tem por baixo dela”.

“Uma das funções do cinema é ver o que está por trás. Nem sempre é possível, e nem é preciso fazer isso sempre. Mas, às vezes, o cinema pode fazer o que expressa esta linda palavra ‘transcender’. ‘Transcender’ a vida, a realidade, a beleza, a violência, tudo isso… e mostrarmos o que tem por trás disso. Não podemos ficar na superfície, bela ou cruel, da imagem”.

https://pt.aleteia.org/2017/06/08/por-que-wim-wenders-resolveu-fazer-um-filme-sobre-o-papa-francisco/
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Pe. Geovane Saraiva

Pe. Geovane Saraiva

POSTAGENS POPULARES

SIGA-ME

Siga por e-mail

Tecnologia do Blogger.
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Copyright © F.G. Saraiva | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com