"Quem me dera ser leal, discreto e silencioso como minha sombra" (Dom Helder Câmara).

terça-feira, 20 de junho de 2017

Michel Temer mente na Índia, não é recebido por Putin e faz país passar vergonha no exterior outra vez

Escrito por Bajonas Teixeira, Postado em Bajonas Teixeira, Golpe

TwitterGoogle GmailFacebook
Por Bajonas Teixeira, colunista de política do Cafezinho,

Em sua segunda viagem ao exterior como presidente, em visita a ONU, Michel Temer aproveitou para mentir quatro vezes: incluiu 85 mil haitianos como refugiados políticos, disse que o Brasil passava por fase de “extraordinária estabilidade política”, afirmou ignorar corrupção pois ter sido vice-decorativo e, por fim, jurou que não vira a saída das delegações latino-americanas.

Agora, na reunião do BRICS, na Índia, repetiu a dose. Primeiro, foi a vergonha de ter sido o único que não foi recebido por Putin, por representar um golpe contra a democracia repudiado pelo mundo inteiro. Esse foi o primeiro grande vexame que Temer deu ao país nessa viagem. O Estadão fez uma matéria sobre o caso com o título Temer o único dos representantes do Brics a não ser recebido por Putin, em Goa.

Não contente, porém, Temer tentou disfarçar esse desprezo dando a entender que fora recebido pelo presidente russo. Relatou até com detalhes as trocas de impressões e confissões íntimas entre os dois, e a despedida em tom de “a gente vai se falando”. Ninguém acreditou e fala-se que a imprensa russa desmentiu. Vejamos as citações da conversa feitas por ele mesmo e transcritas na matéria do Estadão.

Aproveitando para uma mentira dupla, sobre a PEC e sobre Putin, disse Temer:
“Não só o ministro indiano se interessou, como durante um almoço o ministro Putin… o presidente Putin se interessou vivamente, tanto que eu dei explicações as mais variadas sobre o nosso projeto”, disse ele. Instantes depois o presidente brasileiro se referiu ao almoço como “um jantar”. Sem ser questionado, Temer prosseguiu falando de Rússia: “Há uma identidade muito grande de questões econômicas entre a Rússia e o Brasil”.

E mais:

“Na Rússia, me disse ele (Putin), igualmente. E o déficit de R$ 170 bilhões representa no nosso caso 1,8% do PIB, e na Rússia representa 2% ou 2,1%. De modo que, como havia essa identidade, nós conversamos muito sobre o teto dos gastos públicos. Percebo que ele se interessou. Agora não sei o que ele fará.”

Aí vem o momento “a gente vai se falando”:

“Eu fiquei de mandar a documentação da proposta da PEC dos gastos públicos para ele e até para os demais integrantes dos Brics”, explicou.

O motivo dessas mentiras é passar a sensação de normalidade política no Brasil, de estabilidade institucional, e com isso garantir “bons negócios aos empresários do mundo inteiro”. Ou seja, atrair especuladores internacionais e promover as negociatas do PPI para vender o país e arrecadar, no mínimo, R$ 25 bilhões.

De fato, o governo Temer é um sistema de mentiras, para brasileiros e estrangeiros, para realizar negociatas coordenadas pelo recém denunciado, por receber 3 milhões em propinas, Moreira Franco.

Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Pe. Geovane Saraiva

Pe. Geovane Saraiva

POSTAGENS POPULARES

SIGA-ME

Siga por e-mail

Tecnologia do Blogger.
Copyright © F.G. Saraiva | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com