"Quem me dera ser leal, discreto e silencioso como minha sombra" (Dom Helder Câmara).

sexta-feira, 14 de abril de 2017

Jesus «foi o único que percebeu que da cruz se sai para cima»


Agência Ecclesia 14 de Abril de 2017, às 11:26      

Uma proposta do padre Rui Santiago para pensar «o caminho da cruz» na vida de Cristo, que «rebentou a máquina do mal», e na «agenda e carteira» dos cristãos

Porto, 14 abr 2017 (Ecclesia) – O padre Rui Santiago, missionário redentorista, afirmou à Agência ECCLESIA que Jesus “foi o único que percebeu que da cruz se sai para cima” e é o Salvador da humanidade porque não se quis salvar a Ele mesmo.

“Somos salvos por quem não se salva a si mesmo. Não há outra maneira de sermos salvos. Por isso, temos um Salvador, porque é o único que não caiu na tentação de se ‘safar’ a si mesmo”, disse o sacerdote.

Numa entrevista sobre a Sexta-feira Santa, o processo da morte e crucificação de Jesus e o significado da cruz para os cristãos, o padre Rui Santiago referiu que Cristo foi o único que “da cruz não saiu descendo” e “quando todos diziam ‘desce daí’, disse ‘não’”

Para o missionário redentorista, “muito antes de Jesus ter sido posto em cima da cruz” já os seus contemporâneos “tinham posto uma cruz em cima de Jesus”.

“Quando alguém vem semear mudanças no mundo, vem mudar o mundo de mãos, como Jesus faz, tem de se preparar para a luta”.

Comparando a ação de Jesus a uma máquina, o missionário redentoristas disse que Jesus andou “de mil maneiras” a procurar “desinstalar o mal do mundo”, tentando os “botões todos” para desmontar a “maquinaria do mal”, mas ela “continuou a rolar”.

“Jesus atirou-se para dentro da máquina, deixou-se triturar e partiu a máquina por dentro, rebentando com essa engenharia. A cruz é este sinal, é esta hora em que Jesus de Nazaré faz aquilo a que veio, mas de uma maneira que não tinha de ser assim”, indicou.

“Olhar para cruz de Jesus não é olhar apenas para um homem a ser torturado até à morte, mas é olhar para o extremo em que alguém se vem cruzar connosco e se cruza no mais inferior, no mais baixo”, acrescentou.

O padre Rui Santiago considera que, como para Cristo, a cruz tem de ser uma “opção” para os cristãos, o que traz consequências no seu quotidiano, na “agenda e carteira

“Não basta estar no Evangelho de alma e coração, nos preceitos e nas rotinas. Temos de estar de agenda e carteira”, indicou o missionário redentorista.

A entrevista ao padre Rui Santiago é emitida no programa Ecclesia de Sexta-feira Santa, às 15h00 na RTP2, e publicada integralmente em vídeo na Agência ECCLESIA.

PR
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Pe. Geovane Saraiva

Pe. Geovane Saraiva

POSTAGENS POPULARES

SIGA-ME

Siga por e-mail

Tecnologia do Blogger.
'; (function() { var dsq = document.createElement('script'); dsq.type = 'text/javascript'; dsq.async = true; dsq.src = '//' + disqus_shortname + '.disqus.com/embed.js'; (document.getElementsByTagName('head')[0] || document.getElementsByTagName('body')[0]).appendChild(dsq); })();
Copyright © F.G. Saraiva | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com