"Quem me dera ser leal, discreto e silencioso como minha sombra" (Dom Helder Câmara).

quinta-feira, 23 de março de 2017

Hoje a Igreja celebra São Turíbio de Mogrovejo, padroeiro do Episcopado latino-americano


Por Abel Camasca

REDAÇÃO CENTRAL, 23 Mar. 17 / 05:00 am (ACI).- No dia 23 de março é celebrada a festa de São Turíbio de Mogrovejo, padroeiro do Episcopado latino-americano e chamado “Santo Padre da América”. Defendeu os indefesos e explorados durante a colônia espanhola na América e convocou vários sínodos e concílios que trouxeram bons frutos ao Vice-reinado do Peru.

Crismou Santa Rosa de Lima, São Mantinho de Lima e São João Macías e contou com o apoio do missionário São Francisco Solano.

Turíbio Afonso de Mogrovejo nasceu na Espanha por volta de 1538. Estudou direito e foi professor na Universidade de Salamanca. Sendo leigo, o rei Felipe II o nomeou juiz principal da Inquisição em Granada.

Por suas qualidades humanas e sua virtude, o rei o propôs ao Papa Gregório XIII como Arcebispo de Lima, que naquela época compreendia grande parte da América do Sul hispânica. Embora humildemente São Turíbio tenha resistido, com dispensa papal, recebeu as ordens menores e maiores, sendo consagrado Bispo em 1580.

Embarcou para a América e, ao chegar ao Peru, imediatamente se preocupou em restaurar a disciplina eclesiástica e enfrentou abertamente os conquistadores, pessoas de poder, assim como sacerdotes que tinham cometido ou permitido abusos contra os nativos.

Isso fez com que fosse perseguido pelo poder civil e que o caluniassem, mas ele seguiu em sua defesa pelos pobres, argumentando que a quem sempre se devia agradar era a Cristo e não ao Vice-rei.

Construiu igrejas, conventos, hospitais e abriu o primeiro seminário na América Latina que se mantém até hoje. Estudou as línguas e dialetos locais para poder estar mais próximo de seus fiéis e comunicar-se com eles, o que favoreceu no incremento das conversas.

A fim de evangelizar, viajou por cidades e lugares afastados, caminhando ou a cavalo, muitas vezes sozinho e expondo-se às doenças e aos perigos. Certo dia, um mendigo se aproximou dele e, como não tinha o que lhe dar, o santo lhe entregou sua camisa.

Convocou três concílios ou sínodos provinciais e ordenou imprimir o catecismo em quéchua e aymara. Além disso, celebrou treze sínodos diocesanos que ajudaram ao cumprimento das normas do Concílio de Trento e à independência da Igreja em relação ao poder civil.

Aos seus 68 anos, São Turíbio ficou doente e partiu para a Casa do Pai, na Quinta-feira Santa, 23 de março de 1606. Em seu testamento, deixou a seus empregados seus bens pessoais e aos pobres o resto de suas propriedades. São João Paulo II o declarou padroeiro do Episcopado latino-americano.
Compartilhe:

0 comentários:

Postar um comentário

Pe. Geovane Saraiva

Pe. Geovane Saraiva

POSTAGENS POPULARES

SIGA-ME

Siga por e-mail

Tecnologia do Blogger.
Copyright © F.G. Saraiva | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com