"Quem me dera ser leal, discreto e silencioso como minha sombra" (Dom Helder Câmara).

sábado, 30 de dezembro de 2017

Calendário paroquial 2017 – Paróquia de Santo Afonso (Fortaleza – Ceará)

 Os principais eventos da Paróquia de Santo Afonso Maria de Ligório, em Fortaleza – Ceará, organizados pelos movimentos e pastorais  para o ano de 2017.

















Compartilhe:

segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Livro: Rezar com Dom Helder

Pe. Geovane Saraiva lançou seu novo livro,  na Comunidade da Cruz Missionária,
 após a missa do setor 7,  no dia de seu aniversário, 30/10/2015,
Parquelândia - Fortaleza - CE.
A lavra literária do pároco de Santo Afonso, na sua nona  obra.
Nosso novo livro já se encontra na Paróquia Santo Afonso, 
Avenida Jovita Feitosa, 2733 - Cep. 60455-410, 
telefone (85) 32238785 - Parquelândia, Fortaleza - CE.
 Nosso muito obrigado e forte abraço!


Pe. Geovane Saraiva com Dom Helder, na Catedral de Brasília,
 em julho de 1980, aguardando o Papa João Paulo II.


Compartilhe:

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Pe. Geovane Saraiva na Revista digital mais completa do Brasil









Compartilhe:

sexta-feira, 23 de junho de 2017

João Batista, o glorioso

Padre Geovane Saraiva*
Lembrado como uma pessoa que viveu com muita seriedade e com muito rigor, na austeridade e na penitência, João Batista é defensor da verdade e da justiça, prometendo tempos bons e o futuro tão esperado pela humanidade. Figura humana, ungida e santa, segundo o Livro Sagrado, é aquele que, ainda no seio materno, exultou com o Salvador da humanidade que estava para chegar. Seu nascimento trouxe grande alegria, não só pela esterilidade de seu pai, Zacarias, que se transformou em fecundidade, e o homem mudo passou a ser um profeta corajoso e exuberante (cf. Lc 1, 57s), mas como sinal e farol da realização das promessas redentoras, com tempos novos e messiânicos. O maior entre os nascidos de mulher ensine-nos, indignados, o valor do que é essencial à fé, diante do clamor por justiça e paz, dos empobrecidos de toda a terra.

 O maior entre os nascidos de mulher ensine-nos, indignados, o valor do
que é essencial à fé, diante do clamor por justiça e paz.
João Batista preparou o povo para o início da missão pública de Jesus, dizendo, com todas as letras, que ele mesmo caminharia à frente do Cristo Jesus, anunciando que os sinais dos tempos chegariam e as promessas anunciadas por Zacarias estavam para se realizar. O seu vibrante convite foi o de acordar o povo do sono, muitas vezes profundo, para reconhecer o Salvador como o Sol que veio nos visitar; que temos que colocar na mente e no coração o nascimento do precursor, indicando-nos o caminho da solidariedade e da justiça, rumo à Cidade Santa, que é obra de Deus e das pessoas de boa vontade que aceitam o Seu projeto por João Batista anunciado.

O nascimento do maior de todos os profetas quer mostrar ao nosso mundo que não podemos nos cansar de dizer que a salvação chegou para todos e que a proclamação da verdade e da justiça indica tempos novos para a humanidade e assegura-lhe aquele futuro tão esperado. O filho do sacerdote Zacarias e de Isabel é também conhecido como aquele que mostrou o Cristo, o Cordeiro de Deus que tira o pecado mundo. Ele, grandioso aos olhos de Deus, não exerceu função sacerdotal, a exemplo de seu pai Zacarias, mas se tornou conhecido de todos por suas pregações e por seu convite à penitência, no bom desempenho das funções que Deus lhe confiou, anunciando um batismo de penitência para o perdão dos pecados.

Inspirados na figura de São João Batista, que possamos olhar o mundo, conscientes das marcas de profundas desigualdades sociais e econômicas, sem esquecer a dor e o gemido da realidade ecológica. Seu grande trunfo consistiu no anúncio da vinda do Salvador da humanidade. Sua vocação profética, desde o ventre materno, reveste-se de algo extraordinário, repleta de júbilo messiânico, ao preparar um ambiente favorável ao nascimento do Salvador da humanidade. Vida misteriosa, de tão bela, excelsa e maravilhosa, não podemos jamais esquecer o precursor. Numa jubilosa gratidão ao nosso Deus infinitamente bom, estejamos alegremente pasmados, pelo nascimento do glorioso São João Batista.

*Pároco de Santo Afonso, Jornalista, Vice-Presidente da Previdência Sacerdotal, integra a  Academia Metropolitana de Letras de Fortaleza - geovanesaraiva@gmail.com
Compartilhe:

Missa de Sétimo Dia do Monsenhor Antônio Souto Ribeiro da Silva.

Arquidiocese de Fortaleza, Destaques

Acontecerá, dia 26 de junho, às 19h, na Igreja Nossa Senhora da Conceição – Seminário da Prainha, localizada na Avenida Dom Manoel com a Rua Monsenhor Tabosa,  a Missa de Sétimo Dia do Monsenhor Antônio Souto Ribeiro da Silva.

*13/06/1923  + 19/06/2017
Informações pelo telefone (85) 40057850 na Cúria Metropolitana de Fortaleza.

 Mais sobre Mons. Souto
Quando fez 94 Anos
Compartilhe:

É possível amar sem discutir?

  Mathilde Dugueyt | Jun 23, 2017
© Shutterstock
E se as discussões de casais não fossem necessárias?

Quando entramos em uma discussão, geralmente é difícil conter a ira e raciocinar. Embora haja espaço para o desacordo em uma relação de casal, as discussões não são necessárias para o amor.

Para apaziguar as tensões, a psicoterapeuta Karine Danan aconselha interromper o outro, expondo uma pergunta ou falando sobre si mesmo, ao invés de enredar-se em uma lista de reprovações inúteis do seu companheiro ou companheira. Aqui vai uma entrevista com pequenos conselhos práticos para todos:

Como neutralizar uma discussão de casal?

Com frequência, o que nos leva a uma discussão são nossas emoções. Por isso, a primeira coisa a fazer para neutralizar uma discussão é acalmar a maré emocional, respirando e focando em nosso corpo. Se quisermos evitar uma disputa, temos de reduzir nosso ritmo cardíaco, baixar o tom da voz e suavizar os gestos. Esses são os primeiros passos para retomar o controle de nós mesmos

Depois, é possível encarar a situação de forma mais clara e voltar a uma atitude de ouvir, de dar atenção, amenizando nossa vontade de fazer o outro entender nosso ponto de vista a todo custo. É preciso tentar ouvir de verdade o que o outro está nos dizendo sobre as necessidades dele, para avaliar se podemos atendê-las ou não. Também podemos esperar que o outro se acalme para continuar a conversa ou decidir, juntos, suspendê-la para retomá-la em um momento mais propício.

Que atitudes ou palavras pioram a situação?

Atitudes como não escutar o outro, interrompê-lo quando ele está falando, tentar convencê-lo, usar o sarcasmo, ser condescendente, esconder-se no silêncio, mostrar agressividade ou gritar com frequência agravam muito a situação. As reprovações e o falar do outro ao invés de si mesmo são perspectivas que não levam em conta o ponto de vista do cônjuge e envenenam a situação.

Uma discussão não reflete forçosamente um desacordo, mas, na maior parte do tempo, é fruto de uma dificuldade de prestar atenção no outro ou de ouvi-lo.

Na maioria das vezes, discutimos porque queremos que o outro enxergue as coisas como nós, mesmo que o outro não seja – e nunca será – como nós, e talvez não possa nem queira submeter-se ao que queremos.

Às vezes, dizemos coisas que excedem o que pensamos realmente. Ou, inclusive, fingimos estar escutando. Geralmente, queremos dizer algo e as palavras que saem de nossa boca não representam o que desejávamos dividir. Nesse caso, sempre é possível dar marcha à ré, reformular melhor e certificar-se de que o outro compreendeu a mensagem. O que parece evidente para nós, pode não ter motivo para sê-lo ao outro.

Como retomar o diálogo depois de uma discussão?

A comunicação verbal (as palavras que utilizamos) é somente uma parte da comunicação. Se nossa atitude for incoerente com nossas palavras, o outro reagirá sempre a esta atitude antes de nos escutar. Perdoar não consiste somente em dizer, mas também em todo agir em consequência.

Há um tempo para avaliar os problemas e outro tempo para resolvê-los. A discussão acontece, geralmente, porque tentamos solucionar um problema antes de entendê-lo. A paciência é uma virtude quando queremos viver sem discutir. Saber perdoar é reconhecer nossos erros e reconhecer que ferimos o outro. Sempre nos sentiremos melhor quando os outros reconhecerem que nos feriram.

Quais são os erros básicos de uma discussão?

Continuar com a discussão! Uma vez tomados por nossas emoções, não somos capazes de pensar eficazmente. Nós nos arriscamos a crer que estamos dialogando quando, na realidade, protagonizamos um monólogo diante do outro.

Querer encontrar uma solução a qualquer preço, convencer o outro do nosso ponto de vista e obter uma resposta ou um resultado imediato são bons ingredientes para originar ou piorar uma discussão. As reprovações ou acusações colocam o outro na defensiva, e, quando nos colocamos nesta posição, não estamos abertos ao diálogo.

Outo erro consiste em esperar que o outro não reaja ou reaja com sorrisos a tudo o que dizemos ou a tudo o que fazemos. É preciso permitir que o outro sinta suas próprias emoções sem misturar-se a elas e deixar espaço para que ele ou ela se acalme.

O desacordo não é a discussão, o desacordo nem sempre é agradável. Temos de nos dar o direito de sentir e deixar passar o que sentimos. Temos de tirar um tempo para nos entender e respeitar nossas diferenças.

Para saber mais sobre o tema, acesse: www.karinedanan.fr (em francês)

Compartilhe:

Os 3 ensinamentos de São João Batista

  Padre Francesco Occhetta | Jun 23, 2017
CC
Saber se dar, voltar à honestidade e não maltratar os mais fracos

São João Batista é um dos santos mais retratados na arte cristã. Reconhecê-lo é fácil: o profeta que se alimentava de gafanhotos e mel silvestre usa uma veste de pele de camelo e um cinto e está quase sempre junto a um cordeiro, imagem que evoca Jesus, o Cordeiro de Deus.

João, cujo nome significa “Deus é misericórdia”, é o último profeta do Antigo Testamento. A Igreja o homenageia tanto no dia do seu martírio (29 de agosto) quanto no do nascimento (24 de junho), data-marco dos seis meses que antecedem o nascimento de Jesus, segundo as palavras do Arcanjo Gabriel a Maria. São João Batista, junto com Jesus e Nossa Senhora, é o único santo a quem a Igreja celebra no dia do nascimento neste mundo, já que a tradição é celebrar os santos no dia do seu nascimento para a vida eterna. Saiba mais sobre esses 3 aniversários especiais.

João teria nascido em Ain Karim, cerca de sete quilômetros a oeste de Jerusalém, numa família sacerdotal: seu pai, Zacarias, era da classe de Abias, e sua mãe, Isabel, descendia de Aarão. “Chamar-se-á João”, afirmou seu pai.

No décimo quinto ano de Tibério (28-29 d.C.), iniciou a sua missão no rio Jordão: pregar e batizar. Daqui vem o nome “Batista”.

Quando batiza Jesus, João revela a identidade de Deus:

“Eis o Cordeiro de Deus, eis aquele que tira o pecado do mundo!”
Anuncia que Deus vem ao mundo como um frágil e bom cordeiro e que o Seu sacrifício salvará o homem da morte.

“Assim, pois, esta minha alegria se cumpre. É necessário que Ele cresça e eu diminua” (Jo 3,29-30).
Morre decapitado por capricho de Salomé, a filha de Herodíades, amante do rei de Israel.

A vítima, porém, não encontra paz neste mundo nem sequer após a morte. Nos tempos do imperador Juliano, o Apóstata, em 361-362, seu sepulcro é profanado e queimado. Suas cinzas, segundo a tradição, estão na catedral de São Lorenço, em Gênova, para onde os cruzados as teriam levado em 1098.

O que São João Batista pode dizer hoje aos fiéis e aos que não creem?

1 – Ele ensina um verbo: dar.
É o verbo que esculpe um futuro novo. A nova lei de um mercado diferente e humano: em vez do acúmulo, a doação; em vez do desperdício, a sobriedade; em vez do sucesso a todo custo, dar espaço a Outro.

De si, ele oferece tudo: tempo, presença, dinheiro, afeto, correção, transparência. O Batista diz: “Quem tiver duas túnica reparta com quem não tem, e quem tiver alimentos faça o mesmo” (Lc 3,11). Um critério de justiça animado pela caridade.

Bento XVI afirmou:

“A justiça pede superar o desequilíbrio entre aqueles que têm o supérfluo e aqueles a quem falta o necessário. A caridade nos impele a estar atentos uns aos outros e a ir ao encontro das suas necessidades, em vez de procurar justificativas para defender os próprios interesses. Justiça e caridade não são opostas: ambas são necessárias e se completam. O amor será sempre necessário, mesmo na sociedade mais justa”, porque “sempre existirão situações de necessidade material nas quais é indispensável uma ajuda na linha do amor concreto para com o próximo” (encíclica Deus Caritas Est, 28).
2 – Ele nos ensina o retorno à honestidade
A volta à legalidade, começando por mim mesmo e pelos meus comportamentos mais simples: ser honesto mesmo nas pequenas coisas.

3 – O terceiro ensinamento é para aqueles que governam
Não maltratar e não extorquir nada de ninguém. Não se aproveitar do cargo para humilhar.

É sempre o mesmo princípio: primeiro as pessoas, depois a lei. Antes a misericórdia que a punição. E quando for preciso punir, fazê-lo com humanidade.

Compartilhe:

Paris Pode Esperar

Título original: Paris Can Wait
Anne (Diane Lane) está casada com o produtor de cinema Michael (Alec Baldwin). Ele a ama muito, mas não tem tempo para dedicar à esposa. Por isso, no trajeto de Cannes até Paris, Anne é acompanhada pelo sócio de seu marido (Arnaud Viard). O trajeto deveria demorar sete horas, mas ao longo de várias paradas, eles passam a se conhecer melhor enquanto apreciam as paisagens francesas.
País: EUA
Ano: 2017
Gênero: Comédia
Classificação: 12
Direção: Eleanor Coppola
Elenco: Diane Lane, Arnaud Viard, Alec Baldwin
Duração: 1h32 min.
Compartilhe:

‘Mexeram Com A Pessoa Errada’, Diz Lula Sobre ‘Meninos Da Lava Jato’

Da Redação23/06/2017

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse nesta quinta-feira que não vai permitir que “os meninos da Lava-Jato” destruam sua imagem e que “levará até as últimas consequências” a disputa jurídica contra a força-tarefa da Operação, para provar sua inocência. Sem citar nomes, Lula criticou o “juiz que submete seu comportamento aos meios de comunicação”. Em entrevista à Rádio Brasil Atual, o ex-presidente afirmou ainda que é inocente e desafiou a provarem “um centavo errado” em sua vida. “Tenho honradez para dar e vender neste país”.

Lula aguarda a sentença do juiz Sergio Moro, responsável pela Lava-Jato, para o caso do tríplex em Guarujá. O ex-presidente é acusado de ter recebido R$ 3,7 milhões em propina de contratos da OAS com a Petrobras.
Na entrevista de duas horas à rádio, concedida em São Paulo para o programa “Hora do Rango”, Lula criticou os “meninos da Lava-Jato”. “Eu já provei a minha inocência. Quero que provem a minha culpa. Eles mexeram com a pessoa errada e vou até as últimas consequências”, afirmou. “Não vou permitir que os meninos da Lava-Jato tentem criar uma imagem negativa de uma pessoas que construiu [sua imagem] a duras penas, trabalhando durante 50 anos”.

Compartilhe:

DATAFOLHA: LULA DISPARA E VENCE EM TODOS CENÁRIOS


Mesmo sendo alvo de um massacre midiático, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva disparou em todos os cenários pesquisados pelo Datafolha, alcançando números entre 29% e 31% das intenções de voto no primeiro turno; ou seja: sem um tapetão judicial, que seria a fase 2 do golpe de 2016, com a inabilitação judicial de Lula, ele provavelmente seria eleito presidente pela terceira vez; a pesquisa também revelou o esfacelamento das principais forças golpistas: enquanto candidatos do PSDB, como Aécio Neves, derreteram, Michel Temer se tornou a personalidade política mais odiada do Brasil; no vácuo político, o único que cresceu, além de Lula, foi o deputado Jair Bolsonaro (PSC-RJ), que hoje iria para o segundo turno; ontem, ao participar de um evento em defesa da indústria naval, ao lado do ex-governador Olívio Dutra e da presidente golpeada Dilma Rousseff, Lula se disse pronto para vencer mais uma vez o candidato da Globo

Compartilhe:

Pe. Geovane Saraiva

Pe. Geovane Saraiva

POSTAGENS POPULARES

SIGA-ME

Siga por e-mail

Tecnologia do Blogger.
Copyright © F.G. Saraiva | Powered by Blogger
Design by SimpleWpThemes | Blogger Theme by NewBloggerThemes.com